Mercado

Ribeirão Preto briga por Agrishow

Antes dada como favas contadas, a transferência da Agrishow 2010 de Ribeirão Preto para São Carlos está ameaçada. O governo federal ainda não repassou os R$ 52 milhões que prometeu à cidade, o que pode inviabilizar a mudança da feira.

A condição imposta pela diretoria da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), a organizadora do evento, para a troca de cidade era a aplicação do dinheiro em obras de infra-estrutura na Cidade da Bioenergia, área que deveria receber a Agrishow em São Carlos. Luiz Aubert, presidente da Abimaq, chegou a dizer, nos primeiros dias de dezembro, que “se o governo federal” liberasse, “até o fim do ano, os R$ 52 milhões para construir a infra-estrutura em terras da Embrapa”, a feira “será em São Carlos”.

Ainda no fim do ano, o acordo entre governo federal, Prefeitura de São Carlos e Abimaq foi selado. As partes assinaram o compromisso em 8 de dezembro. São Carlos aprovou as leis em seu Orçamento para viabilizar o início das obras. Já os repasses federais deveriam ocorrer até o fim do ano. Só que, em fins de janeiro, o dinheiro ainda não chegou.

O atraso não foi causado pela burocracia, mas sim pela briga que Ribeirão promove, nos bastidores, para manter a feira. Segundo fontes de Brasília e de Ribeirão que acompanharam a questão de perto, a prefeita Dárcy Vera (DEM) teria acionado o deputado federal Antonio Palocci Filho (PT) para fazer lobby em favor da permanência da feira na cidade.

Dárcy teria feito questão de lembrar ao petista que uma derrota nesse quesito complicaria sua intenção de ser candidato a governador de São Paulo.

Após a conversa, Palocci teria utilizado seu prestígio com o presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT) e conseguido que o decreto não fosse assinado até fevereiro. Antes de bater o martelo sobre o assunto, Lula terá um encontro com Dárcy Vera onde o futuro da Agrishow será debatido.

RESPOSTA. Segundo a Prefeitura de São Carlos, no entanto, a liberação é uma questão de tempo. Por meio de assessoria de imprensa, a Administração da cidade vizinha disse que “há comprometimento pessoal dos ministros da Agricultura e Ciência e Tecnologia” e que, assim que o Orçamento para o próximo ano for votado no Congresso “São Carlos deve receber os repasses federais”.

Procurado por meio de sua assessoria, Palocci limitou-se a dizer que tem “apoiado todo o esforço da cidade para manter a feira” e que fez “várias ações políticas, sempre de caráter positivo” nesse sentido, mas afirmou que “não prejudicaria jamais” outros envolvidos no episódio.

Já a Abimaq não quis comentar e disse, por meio de sua assessoria de imprensa, que novas comunicações sobre a Agrishow só serão feitas quando o assunto estiver resolvido. A prefeita Darcy Vera, por sua vez, também não foi encontrada para comentar. (Eduardo Schiavoni)

Banner Evento Mobile