Mercado

Remuneração da safra 2009/10 de cana será maior

Impulsionada pela recuperação dos preços do açúcar no mercado internacional, a remuneração da safra 2009/10 poderá ser entre 10% e 15% maior que o ciclo anterior. Segundo Plínio Nastari, presidente da consultoria Datagro, essas previsões são válidas somente se o governo implementar mesmo o programa de financiamento de estoques (“warrantagem”), anunciado na semana passada. “Caso contrário, a remuneração desta safra fica comprometida, podendo ser até menor que a anterior.”

“O déficit global na safra 2009/10 será de 4,27 milhões de toneladas [segundo estimativas de International Sugar Organization], o que dará maior sustentação aos preços”, afirmou. Nastari participou ontem da Feicana/Feibio – Feira de Negócios do Setor de Energia, que está em sua 7ª edição na cidade paulista de Araçatuba e que será aberta oficialmente hoje.

A demanda por açúcar no mercado externo e de álcool no mercado interno deverá sustentar as cotações da commodity. “O início da safra ainda será marcado por escassez de crédito. Por isso, a implementação do programa de financiamento de estocagem será importante para o equilíbrio dos preços durante o decorrer da safra”, disse Nastari.

Segundo José Carlos Toledo, presidente da Udop (União dos Produtores de Bioenergia), o clima do setor ainda é de pessimismo, por conta da situação financeira delicada que muitas usinas se encontram. No entanto, “os empresários do setor têm a certeza de que a crise vai passar”, afirmou.

Para a safra 2009/10, a colheita no Centro-Sul do país deverá totalizar 530 milhões de toneladas de cana. A produção de álcool no país deverá somar 27,9 bilhões de litros e a de açúcar 35,2 milhões de toneladas, de acordo com a consultoria Datagro. As exportações brasileiras de álcool devem recuar de 5,05 bilhões na safra 2008/09 para 3,75 bilhões em 2009/10, queda de 25,7%.

“Apesar da crise, temos que ressaltar a importância do setor na economia do país. Em 2008, a balança comercial do açúcar, álcool e melaço movimentou US$ 18,8 bilhões”, afirmou Nastari. Esse cálculo inclui a gasolina substituída por álcool. Do ponto de vista histórico, o setor movimentou entre 1975 até 2008 US$ 234 bilhões (considerando os juros da dívida externa), ainda segundo a consultoria. Para Nastari, é importante ressaltar esses números, uma vez que o setor tem um grande peso na economia do país.

Durante a Feicana/Feibio, o empresário Cícero Junqueira Franco, um dos idealizadores da Vale do Rosário, de Morro Agudo (SP), e um dos pais do Proálcool, foi o homenageado no CanaSauro por sua contribuição no setor sucroalcooleiro.

Banner Evento Mobile