Mercado

Raízen irá construir segunda planta de etanol 2G

Capacidade total de produção da companhia será de cerca de 120 milhões de litros de etanol E2G por ano

Etanol 2G - Unidade Produtora de Costa Pinto COPI

Cessão de imagem do fotógrafo por período indeterminado.
Mídias: qualquer material de comunicação interna; qualquer material institucional de mídia impressa; Comunicação Institucional em canais digitais. Ver documento anexo.
Etanol 2G - Unidade Produtora de Costa Pinto COPI Cessão de imagem do fotógrafo por período indeterminado. Mídias: qualquer material de comunicação interna; qualquer material institucional de mídia impressa; Comunicação Institucional em canais digitais. Ver documento anexo.

A Raízen comunicou, nesta sexta-feira (25), que irá investir na construção de sua segunda planta de etanol celulósico (E2G).

A unidade será integrada ao parque de bioenergia Bonfim localizado em Guariba-SP, que além da produção de açúcar, etanol de primeira geração e energia elétrica a partir da biomassa da cana, também abriga a primeira planta de Biogás da companhia, inaugurada em outubro de 2020.

Com capacidade instalada para a produção de 82 milhões de litros por ano, correspondente ao dobro da capacidade de sua primeira planta, a nova unidade deverá entrar em operação em 2023.

Com o início da operação desta segunda planta, a capacidade total de produção da Raízen será de aproximadamente 120 milhões de litros de etanol E2G por ano.

De acordo com a companhia, o anúncio da nova planta atende a crescente demanda pelo produto no mercado internacional, com 91% do seu volume já comercializado em contrato de longo prazo com um player global de energia.

“Com o domínio da tecnologia, a Raízen se consolidará como o único produtor mundial a operar 2 plantas de etanol celulósico em escala industrial”, afirma Guilherme José de Vasconcelos Cerqueira, diretor Financeiro e de Relações com Investidores.

Banner Revistas Mobile