Mercado

PRODUÇÃO DO BIOCOMBUSTÍVEL JÁ É REALIDADE NO BRASIL

A produção de biodiesel já é uma realidade no Brasil, com diversos exemplos do uso do biocombustível. Em Salvador (BA), trios elétricos movidos com o biocombustível irão agitar os foliões no próximo carnaval. No Rio de Janeiro, já circulam pela capital ônibus que levam biodiesel como combustível. Além disso, postos de combustíveis de pelo menos cinco estados e no Distrito Federal já disponibilizam o biodiesel.

O coordenador do Programa Nacional do Biodiesel, da Secretaria de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Arnoldo de Campos, explica que o objetivo do programa é a inclusão social no Brasil. “Estamos vendo, seja pelo uso do biodiesel em ônibus e trio elétricos ou pela sua venda já efetiva em postos de combustível, um sinal de que o programa está dando certo e que muitas famílias estão sendo beneficiadas”, analisou.

Cerca de 12 mil famílias de agricultores familiares, de 11 estados, são beneficiadas pelo programa, ao venderem sua produção a uma empresa do Piauí. A meta da Brasil Biodiesel S/A é chegar a 40 mil famílias até o final de 2006. Atualmente, a empresa possui cerca de 350 técnicos que auxiliam na cultura da mamona, segurança alimentar e na capacitação e organização dessas famílias para o plantio da mamona. “Começamos o nosso projeto sempre focado na agricultura familiar. O Governo acertou ao direcionar esse programa para que não seja só de reposição de combustíveis, mas de desenvolvimento regional e de inclusão social”, explicou o diretor-presidente, Nelson José Cortes da Silveira.

Os consumidores já podem ter acesso ao biocombustível. A empresa Ale Combustíveis S/A foi a primeira a comercializar biodiesel em postos no Brasil. Já opera em 80 postos entre os estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Espírito Santo, Paraná e no Distrito Federal, e outros estão em processo de implantação. O presidente do Conselho de Administração da Ale Combustíveis, Sérgio Cavalieri, destaca o empenho do Governo Federal, ao viabilizar o Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel, que, segundo ele, irá garantir trabalho e renda no campo, pelo fato de ser um combustível renovável. Ele garante que a empresa sentiu-me motivada com este empenho governamental, para passar a distribuir o biocombustível, e ressalta, também, a questão ambiental que o biodiesel representa ao País, por ser um produto menos poluente.

A empresa compra cerca de 80 mil de litros de óleo vegetal puro por mês. Segundo Cavalieri, houve uma boa receptividade por parte do consumidor, o que gerou um aumento de cerca de 20% da venda de óleo diesel nesses postos. O produto é adquirido das usinas Agropalma e Soyminas, que compram a matéria-prima de agricultores familiares. “É um projeto inteligente, que criou um novo mercado para o produtor agrícola. Eu considero uma revolução no campo o impacto que o programa traz”, destacou o empresário.

Ônibus e trios elétricos

Os foliões do carnaval de Salvador poderão nem se dar conta, mas 10 trios elétricos que animarão a festa serão movidos a biodiesel. A idéia é que os carros emitirão menos poluentes na atmosfera, melhorando a qualidade do ar nos circuitos da festa. A ação é fruto de um acordo de cooperação entre o governo do estado, a prefeitura de Salvador, a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), a Universidade Salvador (UNIFACS), entre outros parceiros. No Carnaval, o biodiesel será misturado ao diesel na proporção de 5%.

No Rio de Janeiro, outro exemplo do uso do combustível social. O Rio de Janeiro é o primeiro estado brasileiro a ter um ônibus movido a biodiesel em linhas comerciais de transportes coletivos. Na fase de testes, o ônibus vai percorrer, em um ano, 60 mil quilômetros, com 5% de biodiesel. O convênio faz parte do Programa RioBiodiesel, da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, criado em julho de 2005. O biodiesel desenvolvido no estado pela Coppe/UFRJ é um biocombustível produzido a partir de biomassa renovável para uso em motores de combustão interna ou para geração de energia. O ônibus que será submetido ao trânsito urbano diário recebeu licença de teste emitida pela Agência Nacional de Petróleo (ANP).

Nova alternativa para os agricultores familiares

Para incentivar a introdução do biocombustível na matriz energética nacional, o Governo Federal lançou, em dezembro de 2004, o Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel. A partir de janeiro deste ano, as refinarias e distribuidoras iniciam em várias partes do País a mistura de 2% de biodiesel ao óleo mineral. A proporção de mistura será compulsória a partir de 2008 e subirá para 5% em 2013, equivalendo a 2,5 bilhões de litros anuais.

Além de ser um combustível renovável e que emite um teor menor de enxofre na atmosfera, o biodiesel representa uma nova alternativa de geração de emprego e renda para milhares de agricultores familiares, que vão produzir as oleaginosas (mamona, dendê, girassol, soja, pinhão manso, etc.) utilizadas pelas indústrias processadoras.

Em novembro do ano passado, o Governo Federal, através da Agência Nacional de Petróleo (ANP), promoveu o primeiro pregão eletrônico de compra de biodiesel, com o objetivo é incentivar as parcerias entre as empresas habilitadas e os agricutores familiares e estimular a produção do novo combustível.

Nesta safra 2005-2006, os agricultores familiares que desejam participar da cadeia produtiva do biodiesel têm à disposição uma linha de crédito adicional do Pronaf para o cultivo de oleaginosas. Com isso, o produtor tem uma possibilidade a mais de gerar renda, sem deixar a atividade principal de plantio de alimentos. O limite de crédito e as condições do financiamento seguem as mesmas regras do grupo do Pronaf em que o agricultor estiver enquadrado.

Banner Evento Mobile