Mercado

Preço do álcool começa a baixar para consumidor, diz FGV

Rio de Janeiro – As conversações entre governo e usineiros sobre o preço do álcool começam a surtir efeito no bolso do consumidor. Segundo o economista da Fundação Getúlio Vargas (FGV), André Braz, pela primeira vez, desde o início de dezembro, o preço do álcool combustível no varejo registrou desaceleração, no âmbito do Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S). O preço do produto subiu 9,06% no indicador de até 7 de fevereiro, ante alta de 10,23% apurada na semana anterior, de até 31 de janeiro.

“Acho que alguma coisa boa surgiu nessa conversa, porque é a primeira vez que assistimos uma desaceleração desde dezembro. Esperamos que essa desaceleração continue ao longo do mês”, disse o economista. De acordo com ele, o preço do álcool no varejo estava acelerando sem interrupções desde o IPC-S de até 7 de dezembro, quando o preço do produto subiu 1,23%.

Depois desse resultado, o indicador aumentou 1,91% até 15 de dezembro; seguido por alta de 2,51% até 22 de dezembro; e, por fim, de 3,21% na última semana de dezembro. Em janeiro, as elevações no preço do álcool passaram para 5,58% no índice de até 7 de janeiro; subindo para 9,91% no indicador de até 15 de janeiro; e de 9,97% no índice de até 22 de janeiro.

Banner Evento Mobile