Mercado

Perda de produtividade do etanol provoca fechamento de usinas e desemprego

Crise no setor de etanol se amplia. Foto: Ed Alves/CB/D.A Press
Crise no setor de etanol se amplia. Foto: Ed Alves/CB/D.A Press

O setor de açúcar e álcool vive uma crise que, nos últimos sete anos, provocou o fechamento de 82 usinas e a demissão de mais de 80 mil trabalhadores. E a situação ainda pode piorar. Nas estimativas do mercado, o represamento do preço da gasolina pelo governo e a falta de uma política clara que viabilize a produção de etanol impossibilitarão que até 10 agroindústrias iniciem a moagem da cana a partir do início da próxima safra, em meados de abril de 2015.

O diretor-técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Antonio de Pádua Rodrigues, admite o risco de que algumas usinas fechem as portas no próximo ano. Ele explica que o temor ganhou relevância após a falta de chuvas afetar o desenvolvimento das lavouras e obrigar 42 plantas industriais a interromperem a moagem ainda em outubro. Em uma safra normal, que tem início em abril, a extração do álcool ocorre até o fim de novembro em algumas regiões.

Pádua alerta que muitas empresas não terão álcool ou açúcar para comercializar até o início do próximo ciclo de produção e ficarão sem recursos em caixa para custear mão de obra, compra de insumos e manutenção. “Neste ano, 12 usinas encerraram as atividades. Não acredito que esse número se repita na próxima safra. É difícil fazer uma estimativa, mas o momento não é favorável.”

(Fonte: Diário de Pernambuco)

Banner Revistas Mobile