Mercado

Paraná já acumula no ano alta de 6,8% na produção industrial

A produção industrial do Paraná de janeiro a setembro de 2007 cresceu 6,8% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (9) pelo IBGE. Foi o terceiro melhor resultado do país, atrás apenas de Minas Gerais (8,4%) e Rio Grande do Sul (7,3%). A média nacional foi calcula da em 5,4%.

Já no indicador dos últimos 12 meses, em trajetória crescente desde outubro do ano passado, a taxa do Paraná passou de 5,1% em agosto deste ano para 6,2% em setembro. Quanto ao índice trimestral, o IBGE observou crescimento de 6,7% frente ao terceiro trimestre do ano passado e queda de 1,1% na comparação com o trimestre imediatamente anterior.

Quanto ao desempenho do Estado de setembro frente a agosto, houve um recuo de 3,8%, descontadas as influências sazonais, depois de três meses consecutivos de aumento, período em que o Paraná acumulou ganho de 1,2%. No confronto com setembro de 2006, o acréscimo de 3,1% mantém seqüência de 12 taxas positivas consecutivas nessa comparação.

No índice mensal, a produção paranaense avançou 3,1% com oito das 14 atividades pesquisadas assinalando taxas positivas. O impacto mais importante na formação da taxa geral veio de veículos automotores (56,0%) devido, sobretudo, à fabricação de caminhões.

Em menor medida, vale também citar as contribuições positivas de alimentos (8,4%) e máquinas e equipamentos (10,5%), com destaque para açúcar cristal, óleo de soja refinado; e tratores agrícolas, refrigeradores e congeladores.

Por outro lado, as principais influências negativas vieram de edição e impressão (-40,0%), celulose e papel (-21,1%) e outros produtos químicos (-16,9%) decorrentes, em grande parte, dos decréscimos nos itens livros e impressos didáticos; cartolinas; adubos ou fertilizantes.

MANUTENÇÃO DO RITMO – Em bases trimestrais – na análise do IBGE e do governo do Paraná – observa-se a manutenção de resultados positivos há quatro trimestres consecutivos, nas comparações contra igual período do ano anterior.

“O ritmo de expansão da indústria paranaense no terceiro trimestre de 2007 (6,7%) ficou acima do observado no segundo (5,8%)”, analisa o secretário estadual da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul, Virgílio Moreira Filho.

“Seis ramos acompanharam este movimento, com destaque para veículos automotores, que passa de 9,4% de aumento no período abril-junho para 46,2% em julho-setembro e, em menor medida, madeira (de –10,5% para 3,8%), acrescenta o secretário.

Já o indicador acumulado no ano mostra crescimento de 6,8%, com nove segmentos apresentando acréscimo. As principais influências positivas vieram de veículos automotores (23,2%), máquinas e equipamentos (18,1%) e outros produtos químicos (20,0%), devido, em grande parte, aos produtos: automóveis e caminhões; máquinas para colheita e tratores agrícolas; e adubos ou fertilizantes.

Banner Evento Mobile