Mercado

Nicarágua anuncia indício de petróleo e gás no Pacífico

O Ministério de Energia e Minas do governo nicaraguense informou ontem que há indícios de petróleo e gás natural no litoral do Pacífico. Os estudos de amostras sobre a existência e a possibilidade de uma exploração comercial deverão ser divulgados em dois meses por uma empresa canadense responsável pela prospecção na área.

Em comunicado, o ministério confirmou que a empresa canadense Norwood descobriu indícios de petróleo na região, embora não tenha dados sobre a viabilidade comercial da reserva. Entretanto, o ministério ressaltou que a empresa não chegou a retirar petróleo líquido ou gás”. “O que foi reportado ao governo é que baseados em análises químicas e físicas das amostras obtidas pela empresa Norwood, obtidas com a perfuração, há vestígios de que pode haver petróleo e gás”. A nota do governo afirma que faltam novas análises para determinar a presença de petróleo.

Um membro do ministério, que pediu para não ser identificado, disse que as perfurações da Norwood estão sendo feitas na comunicado de San Bartolo, a 60 quilômetros ao sul da capital da Nicarágua, Manágua. Segundo esta fonte, há tempos se conhece o potencial da região, mas nunca houve descobertas com potencial comercial.

A Norwood é a operadora do campo San Bartolo, contratada pela concessionária local Oklanicsa. A empresa investiu US$ 33 milhões para iniciar as perfurações em janeiro.

ETANOL

A companhia estatal de açúcar e álcool da Nicarágua anunciou ontem a realização da primeira exportação de etanol do país para o mercado europeu produzido a partir de cana-de-açúcar. Segundo o gerente da empresa, Xavier Arguello, foram exportados 3 milhões de litros de álcool combustível por US$ 2 milhões. “Este é um feito enorme, pois coloca a Nicarágua como um dos países pioneiras na produção e comercialização de etanol combustível, uma das alternativas mais viáveis e amigáveis com o meio ambiente, além de evitar a dependência de petróleo”, disse.

O diretor de comercialização da companhia estatal, Álvaro Martínez, afirmou que a empresa monta um plano agressivo para a expansão da produção de etanol o que permitirá a produção de até 400 mil litros por dia. Ambos afirmaram que a companhia planeja investimento de US$ 45 milhões para triplicar as exportações de etanol a partir do próximo ano, e que esta expansão está sendo financiada por um grupo de bancos e instituições internacionais.

O diretor informou que do álcool combustível entra no mercado europeu por Amsterdã, na Holanda, sem barreiras e sem cotas, o que representa uma vantagem que os produtores nicaraguenses aproveitam neste momento.

EUCALIPTO

Os diretores da estatal informaram que com o fim da safra de cana, em maio, a indústria deverá usar resíduos de eucalipto para a produção de vapor necessária na geração energia elétrica. Como no Brasil, o bagaço de cana é usado na produção de energia elétrica. A.P e EFE

Banner Revistas Mobile