Mercado

MT aumenta 100% o consumo de Etanol

A crescente utilização pelo setor automotivo dos carros flex deve aumentar em até 150% o consumo do etanol no Brasil nos próximos 10 anos. O cenário em Mato Grosso deve acompanhar a tendência nacional, apesar do setor no Estado não arriscar um índice fixo. A previsão nacional faz parte do Plano Decenal de Expansão de Energia Elétrica (PDE 2008-2017) da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), que projeta um incremento no volume de etanol consumido no país de 25,5 bilhões de litros em 2008 para 63,9 bilhões de litros em 2017.

Segundo o diretor executivo do Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras do Estado, Jorge dos Santos, em Mato Grosso o crescimento contínuo do consumo do álcool já é uma realidade constatada desde o último ano, quando a demanda pelo etanol ultrapassou as margens de 100%, saltando de 107 milhões de litros em 2007 para 250 milhões de litros em 2008.

A competitividade do preço do álcool hidratado, em comparação ao valor da gasolina nas bombas dos postos de combustível do Estado, e os benefícios ambientais do uso do etanol são, para Santos, os principais impulsionadores da constante expansão do uso do etanol no Estado. “Hoje o preço do álcool representa 52% do valor da gasolina e cada vez mais carros leves, que utilizavam o diesel como principal fonte de combustível, como as caminhonetes, também já estão sendo fabricadas na versão flex álcool/gasolina. O fato do álcool hidratado poluir 72% menos que a gasolina também é um fator determinante para o motorista optar pela troca da gasolina pelo álcool”, afirma Santos.

De acordo com a projeção da EPE, até 2017 o etanol deve representar, em todo país, 80% do volume total de combustíveis líquidos consumidos nos veículos leves que não utilizam o óleo diesel. A pesquisa também projeta um incremento de 3,5 bilhões no volume de álcool produzido e exportado pelo país até 2017. Segundo a EPE, o país deve se consolidar como o maior exportador do produto no mundo nos próximos nove anos, saltando de uma venda externa de 5 bilhões de litros em 2008 para 8,5 bilhões em 2017.

Em Mato Grosso, existem 11 usinas sucroalcooleiras que são responsáveis pela produção anual de 900 milhões de litros de etanol por ano. Como o Estado consome apenas 250 milhões de litros do álcool fabricado nas usinas estaduais, grande parte do combustível produzido em Mato Grosso é usado para abastecer o mercado dos estados do Norte brasileiro (Acre, Rondônia e Amazônia) e algumas cidades do Sudeste do país. “Neste ano, a produção do Estado pode ganhar um incremento de 112 milhões de litros com a implantação da novo usina de cana-de-açúcar do grupo Brenco em Mato Grosso”, informa Santos.

Capacidade energética terá um aporte

Segundo o Plano Decenal de Expansão de Energia Elétrica (PDE 2008-2017) da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), a capacidade total dos autoprodutores de energia elétrica do país também deve receber um incremento de 54 mil MW nos próximos 10 anos.

Deste total, cerca de 16 mil MW correspondem a empreendimentos já contratados em 2008, como o projeto do sistema de integração das usinas de Santo Antonio e Jirau, no rio Madeira (Rondônia), que foi planejado para fazer o atendimento local de diversas localidades de Mato Grosso e das cidades de Porto Velho (RO) e Rio Branco (AC).

Segundo informações da Secretaria de Indústria, Minas e Energia de Mato Grosso (Sicme-MT), as duas usinas abastecem o sistema interligado de que Mato Grosso faz parte e têm, juntas, uma capacidade de 6.450 MW.

Banner Evento Mobile