Mercado

Ministério libera rodotrens de 91 toneladas e 11 eixos

Com este modelo será possível transportar 18,5 toneladas de cana a mais do que os equipamentos em uso

Ministério libera rodotrens de 91 toneladas e 11 eixos

O Ministro dos Transportes Renan Calheiros Filho assinou na terça-feira (28), no Pavilhão de Exposições do São Paulo Expo, a  Resolução do Contran para adaptação de Conjuntos de 91 toneladas, que deverá reduzir o custo com logística do setor canavieiro.

Mário Campos Filho, presidente do Fórum Nacional Sucroenergético (FNS) e da Siamig, que participou de forma efetiva de todo o processo para que o Contran e o Ministério dos Transportes autorizassem a liberação dos rodotrens de 91 toneladas e 11 eixos, destaca ser um importante passo para consolidar essa vitória do setor.

LEIA MAIS > MasterCana Nordeste 2023 será realizado no dia 27 de abril

Roberto Hollanda

O diretor do FNS, Roberto Hollanda, explica que essa nova medida, altera a resolução de n° 872 de setembro de 2021. Ela permite a modificação dos atuais rodotrens canavieiros de 9 eixos e 74 toneladas, que tem o chassi reto, para passar para 11 eixos, e ampliar o PBTC (Peso Bruto Total Combinado) para 91 toneladas.

“É mais um passo importantíssimo, a solução regulatória dessa questão, ao mesmo tempo que permite uma maior distribuição das composições, preservando as vias de tráfego. Além de implicar em menos viagens, ou seja, resulta em menores emissões derivadas do transporte de cana. É uma medida muito importante para o setor, sobretudo agora que no Centro Sul, começa a nova safra“, disse Holanda.

Segundo o presidente do FNS, os rodotrens que serão adaptados à nova capacidade já haviam sido adquiridos por muitas usinas na expectativa da aprovação dessa resolução, para que os eixos adicionais fossem instalados, aumentando, assim, a capacidade de frete.

“Na prática as usinas poderão, agora, participar do processo de obtenção das autorizações especiais de tráfego para rodar estes equipamentos onde forem permitidos”.

LEIA MAIS >Por que o El Niño é um risco de alta para o mercado de açúcar e etanol?

Mário Campos

No ano passado o estado de Minas Gerais obteve a primeira autorização especial de tráfego emitida no Brasil. O processo todo de liberação para estes equipamentos consumiu vários anos de estudos de viabilidade e segurança, envolvendo inúmeros entes governamentais e do próprio setor.

Com apoio da Siamig, a usina mineira Delta Sucroenergia se tornou a primeira sucroenergética a obter a Autorização Especial de Trânsito (AET) para veículos destinados ao transporte de cargas de até 91 toneladas, emitida pelo Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG).

“Nossa esperança agora é de que mais e mais usinas possam conquistar suas autorizações de tráfego com base nesta resolução, que auxilia o setor na redução do custo final de açúcar e etanol, uma vez que o CCT (corte, carregamento e transporte) é um custo importante na cadeia. Teremos, agora, um frete mais eficiente“, finalizou Mário Campos Filho.

LEIA MAIS > Dacalda Açúcar e Etanol amplia frota de caminhões

Para o uso deste Rodotrem, as empresas têm que seguir algumas regras. Como realizarem um Estudo Técnico que comprove a compatibilidade das CVC nas vias que pretende circular; ter um laudo técnico dos implementos; certificado de avaliação de conformidade emitido pelo Inmetro, além de um estudo detalhado de viabilidade de tráfego no percurso proposto, entre outros.

Seguindo uma série de exigências feitas pelo Contran, esses veículos só poderão rodar em trajetos pré-definidos, com distância máxima do trajeto por vias públicas permitida de 80 quilômetros; com velocidade máxima de 60 km/h.

As ultrapassagens são proibidas; os horários são restritos para rodagem, não poderão rodar em comboio, e sim com uma distância mínima de 300 metros entre cada composição, para que outros motoristas possam fazer ultrapassagens com maior segurança.

Banner Revistas Mobile