Mercado

Mercado prevê alta de preços

O mercado financeiro deixou para trás a expectativa de baixa da inflação deste ano e aumentou de 4,55% para 4,57% a estimativa para a inflação o IPCA de 2005, segundo a pesquisa semanal divulgada ontem pelo Banco Central. A mudança de humor já havia sido detectada na semana passada, quando a estimativa de variação dos preços parou de cair e se estabilizou em 4,55%.

Antes da estabilidade, a projeção para o IPCA, índice de inflação usado pelo governo na definição da meta perseguida pelo BC, havia recuado por quatro semanas consecutivas. As sucessivas reduções levaram alguns analistas de mercado a apostar na possibilidade de a expectativa inflacionária do mercado ficar abaixo da meta central de 4,50%.

A mudança de rota, na avaliação de analistas, foi provocada pelo aumento dos preços dos combustíveis. Com as elevações recentes, não há como achar que os preços dos combustíveis não terão reajuste neste ano, disse um operador de mesa de um banco.

Na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), os diretores do BC disseram acreditar na reversão dos reajustes dos últimos meses. Com isso, o Copom manteve a estimativa de reajuste zero do preço da gasolina neste ano. É até possível uma reversão parcial dos aumentos. Mas é muito difícil que ocorra uma reversão total, disse a fonte.

A previsão de inflação para este mês aumentou de 0,40% para 0,46%.

Banner Evento Mobile