Mercado

Mercado financeiro aumenta projeções de inflação

O mercado financeiro está menos otimista, no momento, sobre o comportamento da inflação no decorrer deste ano, e começa a distanciar suas projeções da meta oficial de 5,5%. É o que mostra o boletim Focus, do Banco Central, distribuído nesta segunda-feira.

De acordo com a pesquisa, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) projetado para este ano subiu de 6,14%, na semana anterior, para 6,17%. No mesmo período, o mercado elevou, também, as expectativas em relação ao Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), de 8,07% para 8,40%; o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) passou de 8% para 8,30%; e o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisa da USP (IPC-Fipe) de 5,33% para 5,39%.

As previsões permanecem inalteradas, porém, quanto à inflação deste mês, que deve ser de 0,48%, no mesmo patamar do IPCA de março, que foi de 0,47%, com perspectiva de baixar para 0,40%, no mês que vem. Enquanto isso, o mercado estima que o aumento dos preços monitorados encerrará o ano com total de 7,2%, caindo para 6%, em 2005.

Os demais indicadores permanecem inalterados. O mercado projeta taxa de câmbio de R$ 3,05 no final do ano, com taxa básica de juros na casa de 14% (hoje é de 16%); o Produto Interno Bruto (PIB) deve crescer 3,50% e a dívida líquida do setor público cairá para 56,50% do PIB. O saldo da balança comercial atingirá US$ 25 bilhões e os investimentos estrangeiros diretos serão de US$ 13 bilhões, o que possibilitará superávit de US$ 1,2 bilhão em contas correntes.

Banner Revistas Mobile