Mercado

Marubeni se prepara para investir mais no Brasil

A japonesa Marubeni Corporation, que no Brasil é dona da Companhia Iguaçu de Café e de uma participação em um terminal do Porto de São Francisco do Sul (SC), pretende ampliar seus investimentos no Brasil. A empresa confirmou que negocia aumentar sua participação no Terlogs – onde atualmente tem 6,79% – por meio da compra da participação de um dos outros sócios. Hoje o controle do Terlogs está nas mãos da trading franco-brasileira Agrenco, que detém cerca de 60% do controle.

A Marubeni entrou no Terlogs há cerca de três meses, quando pagou à Agrenco US$ 5,1 milhões por 6,79% do Telogs. O terminal tem infra-estrutura para fazer o escoamento segregado de soja não-transgênica, produto com forte demanda na Ásia e Europa. “As compras de soja do Brasil foram um dos principais itens da pauta de importações japonesa. Queremos ter maior controle sobre este segmento”, diz Masahiro Tomikura, diretor do departamento de produtos alimentícios da Marubeni do Brasil.

Segundo Tomikura, é natural o aumento do interesse da Marubeni na soja brasileira. “Nosso investimento no café – a multinacional detém o controle da Companhia Iguaçu de Café – já amadureceu. Agora que a soja está se tornando cada vez mais importante, queremos ter maior participação no processo”, afirma. A multinacional japonesa é dona de 72,44% do capital da Café Iguaçu, empresa com faturamento de cerca de R$ 300 milhões.

O executivo não informa quando o negócio será fechado nem qual o valor da transação. “Estamos exatamente em meio às negociações. Só posso dizer que o investimento será maior que os US$ 5,1 milhões inicialmente investidos”. Procurada, a Agrenco não foi encontrada para comentar o assunto.

O Terlogs é o maior terminal de movimentação de grãos e farelo de soja no Porto de São Francisco no Sul. No primeiro semestre, ele respondeu por quase 60% da movimentação de 1,7 milhão de toneladas do porto. Do total embarcado pelo terminal, quase 40% tiveram a Ásia como destino final. Em meados deste ano, Marubeni e Agrenco anunciaram que esperavam exportar 1 milhão de toneladas de soja para a Ásia neste ano. As duas empresas pretendiam triplicar o volume nos três anos seguintes.

Agrenco e Marubeni são, ao lado de alguns minoritários, como a Cargonave, sócias da South Pacific Ocean Grains & Oils, empresa que controla o Terlog. A Marubeni é uma das maiores trading companies do mundo. Na soja, ela intermedia a venda para países asiáticos, como o próprio Japão, China e Coréia do Sul.

Interesse no álcool

A empresa disse também ter interesse no mercado de álcool, porem não há nenhum plano concreto de investimentos em vista. “O Japão autorizou a mistura de álcool na gasolina para reduzir nossa dependência do petróleo. Estamos interessados em viabilizar a logística do álcool, mas é apenas uma sondagem inicial”, disse Fimihiko Wada, vice-presidente corporativo da Marubeni Corporation. Wada, que é apontado como terceiro homem mais importante da hierarquia do grupo no mundo, participou do seminário “Agronegócio: uma atividade sustentável”, promovido pela Agrenco em Viena.

Banner Revistas Mobile