Mercado

Governo deveria ser o responsável por estoque de álcool, diz Canaoeste

São Paulo, O governo federal deve ser o responsável pelas despesas com carregamento de estoques de álcool para abastecer o mercado brasileiro durante a entressafra. A avaliação foi feita pelo consultor da Associação dos Plantadores de Cana do Oeste do Estado de São Paulo (Canaoeste), Oswaldo Alonso.

“Os estoques reguladores devem ser formados pelo governo. Ele deveria comprar o volume de álcool necessário para a entressafra”, diz. Para Alonso, o preço a ser pago pelo governo pelo álcool deve ser calculado para remunerar os custos de produção das usinas. “No início da safra 2005/06, os preços do álcool tangenciavam os custos”, afirma.

Segundo ele, se o volume da safra 2005/06 tivesse correspondido às expectativas do setor, as usinas teriam produzido 1 milhão de toneladas a mais de açúcar e mais 700 milhões de litros de álcool, o que reduziria a necessidade de antecipação da moagem de cana-de-açúcar de maio para o fim de março. As usinas sucroalcooleiras do Centro-Sul moeram 336 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2005/06, volume 3,5% menor que o estimado pela União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (Unica) em setembro.

Alonso defende que se o governo não assumir a responsabilidade pelos estoques, deve optar por ampliar as linhas de financiamento para as usinas. “O financiamento deve ter taxa de juros que permitam que o álcool se mantenha competitivo em relação à gasolina”, diz.

Para o presidente da Associação de Produtores de Álcool e Açúcar do Estado do Paraná (Alcopar), Anísio Tormena, o setor deve ser o responsável pela manutenção dos estoques estratégicos. “Nós temos de nos organizar para manter os estoques, enquanto o governo deve oferecer mais recursos para financiamento”, diz.

Banner Evento Mobile