Açúcar e etanol

Exportações em ascensão impulsionam saldo positivo e recordes de setor açucareiro

Brasil mantém robusto superávit na balança comercial até maio

Exportações em ascensão impulsionam saldo positivo e recordes de setor açucareiro

O Brasil registrou um superávit de US$ 31 bilhões desde janeiro até a segunda semana de maio de 2024. Esse desempenho é impulsionado principalmente pelo aumento nas exportações, que alcançaram US$ 11,2 bilhões até o momento, enquanto as importações somaram US$ 8 bilhões no mesmo período.

Os dados divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (Secex/MDIC) revelam um saldo positivo de US$ 1,7 bilhão apenas na segunda semana de maio, com um volume total de comércio de US$ 12,7 bilhões. Esse resultado foi impulsionado por exportações no valor de US$ 7,2 bilhões e importações de US$ 5,4 bilhões durante esse período.

No acumulado do mês, as exportações superam as importações em US$ 3,2 bilhões, com um volume total de comércio de US$ 19 bilhões. No contexto anual, as exportações atingiram a marca de US$ 120 bilhões, enquanto as importações somaram US$ 89,1 bilhões, resultando em um superávit robusto de US$ 31 bilhões e uma corrente de comércio total de US$ 209 bilhões.

Na análise mensal, observa-se um crescimento significativo nas exportações e importações em comparação com o mesmo período do ano anterior. As exportações aumentaram 8,2%, atingindo uma média de US$ 1,6 bilhão até a segunda semana de maio de 2024, enquanto as importações cresceram 16,5%, totalizando US$ 1,1 bilhão no mesmo período.

Este desempenho reflete um aumento de 11,5% na média diária da corrente de comércio em relação ao mesmo período do ano anterior, totalizando US$ 2,7 bilhões, com um saldo médio diário de US$ 457 milhões.

O setor agropecuário demonstrou um crescimento sólido, com um aumento médio diário de US$ 11,4 bilhões (2,7%) nas exportações e de US$ 9,66 bilhões (64,2%) nas importações. Por outro lado, a indústria extrativa registrou uma queda média diária de US$ 5,8 bilhões (-1,9%) nas exportações, apesar de um aumento de US$ 48 bilhões (70,6%) nas importações. Já os produtos da indústria de transformação apresentaram um crescimento médio diário de US$ 118 milhões (15,8%) nas exportações e de US$ 104 bilhões (11,7%) nas importações.

Destacando-se no cenário internacional, as exportações brasileiras de açúcar alcançaram um novo recorde para o mês de abril, com um aumento anual impressionante de 94,7%. Esse desempenho excepcional levou o volume exportado a superar em 5,7% o recorde anterior para o mesmo período, conforme relatado pela DATAGRO em seu Relatório VIP, referente a abril de 2021.

O continente asiático continua a ser o principal destino do açúcar brasileiro, conforme ressaltado pela consultoria. Nos primeiros quatro meses de 2024, as exportações desse setor aumentaram substanciais 80,2% em comparação com o mesmo período do ano anterior. Além disso, o Brasil ampliou sua base de clientes, com 138 países adquirindo açúcar brasileiro desde o início de 2024, representando um aumento significativo de 25 nações em relação ao ano anterior.

Banner Revistas Mobile