Mercado

Embrapa e Esalq lançam novo pólo de pesquisa com bioenergia

A Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) vai inaugurar, no dia 26, um novo departamento voltado à produção de energia, que terá como foco a pesquisa sobre biodiesel e energias alternativas. A Embrapa contou com a colaboração do Pólo Nacional de Biocombustíveis da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – USP).

Para o pesquisador da Embrapa, Décio Gazzoni, a produção de biodiesel pode ser uma das mais promissoras opções de energia alternativa. O novo departamento da Embrapa trabalhará em conjunto com a USP, que já vem desenvolvendo pesquisas na área, as pesquisas serão voltadas para quatro grandes produtos passíveis de utilização na fabricação de biodiesel, a cana-de-açúcar, oleaginosas, florestas energéticas e dejetos de agropecuária.

Segundo Gazzoni, o biodiesel traz várias vantagens ao país, primeiro por ter “vastas áreas de plantio, múltiplos cultivos anuais, clima favorável, radiação solar e água abundantes, além de tecnologia compatível”. Segundo ele, “o biodiesel terá uma produção cada vez maior nos próximos anos, chegando a 100 bilhões de litros em 2035. Daí a importância de se ter um Plano Nacional de Agroenergia voltado para o biodiesel. Temos necessidade de desenvolver a tecnologia da produção de matéria-prima, a tecnologia da produção de biodiesel, a tecnologia de aproveitamento de co-produtos e a tecnologia de aproveitamento de resíduos”.

O BNDES vai incentivar a produção de novos combustíveis com o Proinfa (Programa de incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica) que receberá investimentos de R$ 5,5 bilhões em 2006. Estes investimentos serão distribuídos em energia eólica (com investimento de R$ 2,05 bilhões e financiamento de R$ 1,5 bilhões), biomassa (R$ 825 bilhões, mais financiamento de R$ 618 milhões) e PCH (Pequenas Centrais Hidrelétricas), que receberão R$ 3,7 bilhões e terão financiamento de R$ 2,6 bilhões.

Banner Evento Mobile