Mercado

Distribuidoras de GLP querem ocupar espaços do gás natural

As distribuidoras de Gás Liqüefeito de Petróleo (GLP), o chamado gás de cozinha, já começam a traçar planos para reverter a tendência de queda das vendas do produto verificada a partir de 2000. Embora o mercado residencial responda atualmente pela maior fatia das vendas de empresas como Ultragaz, Liqüigás e SHV Gás, a indústria começa a ser considerada fundamental para a recuperação desse mercado.

O presidente do Sindicato das Empresas Distribuidoras de Gás Liqüefeito de Petróleo (Sindigas), Sérgio Bandeira de Mello, revela que o ideal, no Brasil, seria a adoção, pelas indústrias, do procedimento comum hoje principalmente no mercado europeu: a utilização do GLP como back up do gás natural. Segundo ele, o produto poderia ser armazenado em granéis para ser utilizado nos momentos de escassez do gás natural, como ocorre na Europa

Banner Revistas Mobile