Mercado

Crise de crédito antecipa moagem da cana 2009/10 no Brasil

As usinas de cana-de-açúcar do centro-sul do Brasil estão moendo a nova safra mais cedo do que o normal para levantar dinheiro em meio ao aperto de crédito, afirmou na terça-feira a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica).

Trinta e seis usinas tinham começado a moer a safra 2009/10 de cana até 15 de março, ante 10 na mesma época do ano passado. Entre essas que já estavam operando, 20 não pararam durante a entressafra.

“Essa temporada foi sem precedentes. O alto número de usinas já operando deve-se ao impacto da crise no setor e ao volume de cana deixada nos campos na temporada passada”, disse Antonio de Pádua Rodrigues, diretor técnico da Unica.

A crise financeira global reduziu a disponibilidade de crédito para financiar operações, deixando algumas empresas sem outra opção a não ser acelerar a produção e vender açúcar e álcool para cobrir os custos diários.

Os preços para esses produtos caíram no mercado doméstico por causa do movimento de vendas, disse Pádua. Os preços do etanol caíram em mais de um terço nas últimas sete semanas, provocando alguns contratos de exportação.

Cerca de 40 milhões de t de cana foram deixadas nos campos no ano passado depois que as chuvas prejudicaram a colheita. Além disso, as usinas enfrentaram atrasos nas entregas de equipamentos. A colheita na região centro-sul do Brasil, que responde por cerca de 90% da produção nacional de cana, começa oficialmente em 1º de abril.

A primeira estimativa da Unica para a safra 2009/10 deve sair em meados de abril. Traders estimam um aumento na disponibilidade de cana, assim como na produção de açúcar e etanol em relação à temporada passada.

Pádua lembrou que como mais usinas começam a moer a safra cedo, deve haver mais açúcar e álcool disponível em abril do que no mesmo mês do ano passado. Até o final de abril de 2008, as usinas do centro-sul tinham mo

Banner Evento Mobile