Mercado

Cosan obtém 10% do mercado com aquisição

O grupo Cosan deverá processar cerca de 56 milhões de toneladas de cana na safra 2009/10, ampliando em cerca de 12 milhões de toneladas a moagem sobre o ciclo 2008/09. Esse aumento já reflete a incorporação da Nova América pela companhia, operação que permitiu à Cosan elevar sua participação na moagem de cana do país de 8% para 10%. O volume que será processado pela Cosan ultrapassa toda a produção de cana da Austrália, um dos principais países produtores de açúcar do mundo.Pulverizado, com cerca de 400 usinas no país, movimentos de concentração como o da Cosan deverão se intensificar nos próximos meses por conta da crise financeira pela qual o segmento passa. Com a aquisição da Nova América (essa operação permitiu que a holding Rezende Barbosa, controladora da companhia, tenha cerca de 11% de participação na Cosan), o grupo torna-se líder em varejo com a marca União. Ao todo, vai administrar cinco marcas no varejo e não pretende se desfazer de nenhuma delas. “Cada marca tem uma penetração regional”, disse Marcos Lutz, vice-presidente comercial e de logística do grupo. A Cosan tem 15 dias a partir de sexta-feira para protocolar o processo de concentração no Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). Desde dezembro do ano passado, a Cosan tornou-se também uma distribuidora de combustíveis, com a aquisição da Esso. Na sexta-feira, o grupo divulgou seus resultados referentes ao terceiro trimestre da safra 2008/09, o que já inclui a consolidação da Esso. No balanço da Cosan SA, a empresa encerrou o terceiro trimestre com receita líquida de R$ 2,565 bilhões, aumento de 280,5% sobre o mesmo período do ciclo passado, de R$ 674 milhões. No mesmo período, o grupo encerrou com lucro líquido de R$ 5,2 milhões, revertendo prejuízo de R$ 71,4 milhões no terceiro trimestre de 2007/08. No acumulado dos últimos nove meses, a receita líquida somou R$ 3,92 bilhões, alta de 107%, e prejuízo líquido acumulado de R$ 433,6 milhões, dez vezes mais que o mesmo período do ciclo anterior. Vale lembrar que o resultado positivo reflete em parte o ganho de capital de R$ 109,5 milhões decorrentes de venda de 18.230 hectares de terras da Cosan à Radar, da qual a companhia é acionista. Já pelos resultados da Cosan Ltd., holding controladora da Cosan SA, o grupo fechou o terceiro trimestre com receita líquida de US$ 1,103 bilhão, 193% maior que em igual período de 2007/08. O prejuízo líquido no período é de US$ 64,6 milhões. No acumulado da safra, o faturamento líquido soma US$ 1,881 bilhão, alta de 87% sobre o mesmo período da safra anterior, com um prejuízo líquido de US$ 208 milhões. A diferença de resultado nos balanços reflete diferentes exigências contábeis pelos padrões americanos. A Cosan passará a divulgar seus resultados pelo Padrão Internacional de Demonstrações Financeiras (IFRS, na sigla em inglês) em 2010.

Banner Evento Mobile