Mercado

Cosan compra Corona e passa a liderar mercado

Um dos principais grupos sucroalcooleiros do Porto de Santos, a Cosan S.A., anunciou ontem o término das negociações para a compra de 100% das ações do Grupo Corona, que administra as usinas Bonfim e Tamoio (em Ribeirão Preto, no interior do Estado). Com a aquisição, a empresa se tornou a maior exportadora de açúcar do mundo.

Atualmente, o Brasil é o principal país exportador da commodity, enquanto Santos responde pela maior parcela dos embarques em todo o mercado mundial.

Para o presidente do Conselho de Administração e diretor-presidente da Cosan, Rubens Ometto, a Cosan se torna não apenas o maior exportador de açúcar do mundo, como confirma novamente sua estratégia de atuar como agente consolidador de um segmento ainda altamente fragmentado. Desta maneira, nossa companhia continuará perseguindo os mais altos níveis de produtividade e performance, buscando um contínuo crescimento.

A Cosan irá pagar R$ 398,6 milhões pelo Grupo Corona, quantia obtida principalmente com a oferta pública de ações que a empresa realizou em dezembro passado.

Além das duas usinas, com capacidade de moagem de 6 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por ano, o Corona tem cerca de 6 mil alqueires de terras, entre seus ativos. Produtor de açúcar VHP exportação e álcool anidro e hidratado, o grupo apresentou uma receita líquida de R$ 345 milhões e esmagou 5,8 milhões de toneladas de cana no ano passado.

Com a compra, a Cosan passa a ter 16 usinas e uma capacidade de moagem de quase 39 milhões de toneladas de açúcar. No Porto de Santos, conta com dois terminais, o açucareiro (formado pelos armazéns sem número, 19, V, X, XV e XX) e o de álcool, o TEAS (sigla de Terminal para Exportação de Álcool de Santos, localizado na Alemoa e instalado em uma parceria com os grupos Crystalsev, Nova América e Cargill).

Atualmente, a Cosan domina 9% do mercado doméstico de açúcar e 7% do de álcool. No ano passado, a companhia registrou vendas líquidas consolidadas de R$ 1,9 bilhão e um lucro bruto de R$ 561,8 milhões.

Banner Evento Mobile