Mercado

Controle do álcool opõe ANP à Agricultura

As normas que irão reger o mercado de álcool combustível ainda são motivo de disputa entre os ministérios da Agricultura e das Minas e Energia. A Agência Nacional do Petróleo (ANP) está redigindo uma minuta na tentativa de conciliar os interesses dos dois setores dentro do governo federal. Minas e Energia defende a criação de cotas para limitar as exportações de etanol e o rígido controle da comercialização do combustível. A Agricultura reconhece a necessidade de algum controle sobre a venda do combustível, mas insiste em manter o setor subordinado à pasta, por considerá-lo eminentemente agrícola.

O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, reiterou ontem, em São Carlos (SP), que o álcool é um derivado da cana-de-açúcar, e por isso está subordinado à sua pasta, “mesmo que seja tratado como combustível, e por isso controlado pelo Ministério de Minas e Energia ou pela ANP”. Para Rodrigues,

Banner Evento Mobile