Mercado

Consumo nos Estados Unidos favorece o Brasil

O Senado norte-americano trabalha para limitar a produção de etanol a partir do milho, dominante naquele país. O grão não é a melhor fonte para a produção do biocombustível devido ao seu baixo rendimento e ao alto custo de produção. A informação é do diretor da Área de Abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto Costa.

Os Estados Unidos são os maiores produtores e consumidores de etanol do mundo, ao limitar a produção local, o Brasil pode ser beneficiado, pois é o principal exportador mundial do combustível.

Segundo o executivo, a intenção do governo norte-americano é adicionar cerca de 20% de etanol à gasolina até 2017. Com isso, os Estados Unidos precisarão de 135 bilhões de litros e a produção mundial atual é de 50 bilhões de litros. No Brasil, que lidera a produção logo atrás dos Estados Unidos, o percentual de adição é de 25%.

Para atender à demanda, o País terá de aumentar suas importações, segundo Costa.

No entanto, o executivo explicou que o produto brasileiro ainda enfrenta dificuldades para penetrar no mercado norte-americano, devido tributação que corresponde ao pagamento de US$ 0,54 por galão de etanol.

Banner Evento Mobile