Mercado

Comissão avalia estragos causados pela cigarrinha da raiz em Alagoas

Técnicos do setor sucroalcooleiro alagoano vão apurar os estragos que poderão ser causados por doenças e pragas para a safra 2005/06 no Estado. O alvo principal será o levantamento dos danos provocados pela cigarrinha da raiz. Estimativas iniciais já chegaram a apontar uma infestação de 70 mil hectares. Haverá, também, uma avaliação dos prejuízos causados por doenças como a diatraea saccharlis, broca comum e broca gigante.

Para a realização deste trabalho, uma reunião de técnicos do setor, em 3 de outubro, na Cooperativa Regional dos Produtores de Açúcar e Álcool de Alagoas, decidiu pela formação de uma comissão de profissionais ligados às usinas e fornecedores de cana. A Universidade Federal de Alagoas (Ufal), por intermédio do Programa de Melhoramento Genético da Cana-de-Açúcar (PMGCA), será a gestora do projeto, que terá a participação da Sociedade dos Técnicos Açucareiros e Alcooleiros – Regional Leste (Stab Leste), Associação dos Plantadores de Cana de Alagoas (Asplana) e pesquisadores independentes.

Banner Revistas Mobile