Mercado

Brasil tem pregão para negociar créditos de carbono

A Bolsa de Valores do Rio de Janeiro lançou na quinta-feira passada, dia 15, o primeiro pregão de créditos de carbono. Esta é a primeira iniciativa entre os países latino-americanos, em uma parceria entre o Mnistério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e a Bolsa de Mercadorias e Futurso (BM&F).

A criação do mercado brasileiro de redução de emissões facilitará a comercialização de créditos de carbono para outros países, interessados em reduzir a emissão de gases de efeito estufa, conforme determinado pelo Protocolo de Kyoto.

O Brasil se enquadra na cláusula dos países que podem negociar seus créditos de carbono no mercado internacional para países que necessitam reduzir suas emissões de gases poluentes.

Pelo projeto da bolsa, serão acolhidos registros de projetos de Mecanimo de Movimento Limpo. Nesse projeto, os investidores poderão divulgar seus interesses em adquirir créditos de carbono.

Dados do Banco Mundial mostram que o Brasil respondeu por 12% do volume total de projetos MDL negociados no período de janeiro de 2003 a dezembro de 2004. Entre janeiro de 2004 e abril de2005 o país respondeu por 13% dos volumes totais.

Banner Revistas Mobile