Mercado

BNDES vai ampliar crédito a projetos na área de inovação

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) pretende ampliar sua participação no apoio aos arranjos produtivos locais, contemplando empresas de menor porte, em projetos de inovação e no Nordeste. Hoje, o desembolso da instituição para a região representa 8% e a meta é alcançar 14% até 2010. Ontem, diretores do banco estiveram reunidos com empresários do setor do gesso, açúcar, do parque tecnológico e eletroeletrônico (Parqtel), do Porto Digital e de frutas do Vale do São Francisco. O encontro foi articulado pela Secretaria estadual de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente.

Na semana passada, o BNDES criou o Comitê de Desenvolvimento Regional, que tem por objetivo discutir linhas para os arranjos produtivos locais, bem como acompanhar os possíveis empreendimentos derivados dos grandes investimentos que chegam a Suape. Ainda na semana passada, o Banco criou um grupo de trabalho para analisar Suape, inclusive financiamentos públicos para estradas, transportes e outros investimentos necessários para a área.

O secretário Aristides Monteiro pretende realizar um novo encontro com as empresas dos arranjos produtivos para discutir como eles podem se tornar fornecedores de Suape. Entre os próximos dias 26 e 28, pesquisadores e professores do Nordeste apresentarão ao Banco estudos específicos sobre os arranjos produtivos na região.

Ajalmar Leite, economista do BNDES, sugeriu ao governo do Estado uma articulação com as empresas para que sejam beneficiadas pelo Fundo Nordeste de Capital de Risco, gerenciado pela Rio Bravo, mas que tem o BNDES, o Sebrae e a JCPM entre os cotistas. Criado há dois anos, com R$ 30 milhões, o fundo receberá mais R$ 100 milhões e participa acionariamente das empresas.

Banner Evento Mobile