Mercado

Alta em NY ajuda produtor a cobrar mais pela laranja

A alta das cotações do suco de laranja na Bolsa de Nova York deu fôlego às reivindicações dos citricultores brasileiros, que pleiteiam reajuste de mais de 100% nos preços da laranja colhida na safra 2006/07. A expectativa de que os já combalidos pomares da Flórida (EUA) foram prejudicados pelo clima seco elevaram ontem os preços do suco para os mais altos níveis em 14 anos. O contrato para julho fechou em 139 centavos de dólar a libra peso, 40% mais que 12 meses atrás.

A previsão do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus) de que a safra brasileira não passará de 330 milhões de caixas, 10% maior que a anterior, encorajou os citricultores a pedir à Cutrale, a maior indústria de suco do mundo, a revisão dos contratos e fixação do preço da caixa em R$ 15,00. O pleito foi apresentado pelo presidente da Associação Brasileira dos Citricultores (Associtrus), Flávio Viegas, em mais uma rodada de negociações com a empresa. “Os produtores querem assegurar ainda a geração e a justa distribuição de renda ao longo da cadeia e melhores condições de trabalho”, afirmou.

Banner Evento Mobile