Mercado

Alta do açúcar puxa preço da cesta

O aumento da demanda pelo álcool, impulsionada pelos carros flex (bicombustíveis), não afetou somente o preço do combustível, mas também o valor da cesta básica. Isso porque, com a maior procura por álcool, a cana-de-açúcar, em final de safra, está mais valorizada. Dessa forma, a cesta básica do Grande ABC apresentou elevação de 0,23% nesta semana, custando R$ 252,10 – R$ 0,57 a mais do que na semana anterior.

Os dados fazem parte de levantamento realizado pela Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André) em 27 supermercados da região, exceto na cidade de Rio Grande da Serra. A quantidade de cada alimento que compõe a cesta é baseada no consumo mensal de uma família de quatro pessoas – dois adultos e duas crianças.

Entre todos os 34 alimentos da cesta, o açúcar apresentou a maior alta (10,64%). “O mercado interno passa por uma supervalorização do álcool combustível em decorrência da demanda crescente de donos de carros flex que optam pelo combustível”, esclareceu o técnico agrícola Joel Diogo de Arruda Guerra, da UCP-Craisa (Unidade de Conjuntura de Preços).

Além do açúcar, também foram registradas elevações nos preços do arroz (0,79%), feijão (1,97%), carne bovina de 1ª(0,99%) e de 2ª(1,87%) – itens com grande peso na cesta básica. Com as altas, o grupo de alimentos industrializados subiu 0,41%.

A variação no custo da cesta só não foi mais expressiva devido à queda nos grupos de higiene pessoal (-1,61%) e hortifrutigranjeiros (-0,90%), sendo o último impulsionado pelo preço do tomate, que registrou redução de 9,60% – a maior desta semana.

Banner Evento Mobile