Mercado

Álcool: suspeita de especulação

As usinas e destilarias deixaram 3 milhões de toneladas de cana-de-açúcar madura nos canaviais no fim de 2005. Se fossem transformadas em álcool, renderiam 2,4 bilhões de litros, suficientes para abastecer o mercado e possivelmente evitar aumentos de preço.

A diretora-regional do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sincopetro), Ivanilde Vieira, suspeita de manobra especulativa. Reter a matéria-prima num quadro de escassez é indício de especulação, diz. Produtores e usineiros alegam que as chuvas do fim do ano impediram a colheita. O preço do álcool na usina subiu de R$ 0,99 no fim de novembro para R$ 1,20 na semana passada, sem impostos.

Banner Evento Mobile