Mercado

Álcool deverá subir mais, diz especialista

Até o fim desta semana, o álcool combustível pode ficar ainda mais caro nos postos do país, como reflexo de um aumento previsto dos produtores aos distribuidores.

Segundo analistas, ontem o litro do álcool chegou a ser negociado pelos produtores a R$ 1,09 sem impostos, 3,8% acima do teto de R$ 1,05 acordado em janeiro com o governo. A previsão é de que até sexta-feira o preço suba ainda mais e fique entre R$ 1,11 e R$ 1,14.

De acordo com o analista Gil Barabach, da consultoria Safras & Mercado, os produtores perceberam que, apesar do esforço que vinham fazendo para segurar os preços, o valor não caía nas bombas dos postos de combustíveis.

“Muitos usineiros até baixaram os preços, mas entenderam que o restante da cadeia, distribuidores e varejistas, não estava fazendo o esforço na mesma direção. Resolveram, então, liberar os preços.”

Levantamento semanal realizado pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) mostrou uma alta de 0,46% entre os preços médios praticados nos postos na semana passada, em comparação com a semana anterior. O preço médio passou de R$ 1,735 para R$ 1,743.

Segundo Barabach, porém, essa alta ao consumidor captada pela ANP não é reflexo ainda da liberação de preços por parte dos usineiros, movimento que começou na última sexta. Novos aumentos, portanto, devem ocorrer nas bombas nas próximas semanas.

Barabach disse que o período de entressafra do álcool deve acabar em abril, já que os produtores vão antecipar a safra. Até lá, com escassez do produto e demanda em alta, o esperado seria que os preços subissem nos meses de janeiro, fevereiro e março.

Mas um acordo proposto pelo governo em meados de janeiro fez com que os usineiros mantivessem o teto de R$ 1,05 na entressafra. Como reflexo, o preço ao consumidor ficou cerca de três semanas estabilizado nas bombas -em torno de R$ 1,735.

“Eles respeitaram o acordo em janeiro, mas viram que a estratégia não daria resultados”, afirmou Barabach. Segundo ele, os preços podem ficar ainda mais elevados, já que os produtores estariam, por ora, “dosando os aumentos”.

Os levantamentos semanais da ANP mostram que o álcool começou o ano sendo vendido a R$ 1,650. A alta acumulada até a última semana está em 5,6%.

Em São Paulo, o consumidor pagou, em média, R$ 1,528 pelo litro do álcool na semana passada, acima do valor de R$ 1,524 registrado na semana anterior. A pesquisa foi feita em 3.396 postos.

Banner Evento Mobile