Mercado

Alagoas destaca potencial da biomassa

A produção de biomassa das 26 usinas e destilarias de cana-de-açúcar de Alagoas, se usadas para a geração de energia em nível comercial, teriam potencial para atender 66% de toda a demanda da Ceal – Companhia Energética de Alagoas. É o que afirma o secretário do Desenvolvimento Econômico do Estado, Luiz Otávio Gomes.

Gomes, que participou em outubro do Encontro Nacional de Negócios em Energia, em Maceió, AL, conta que a usina alagoana de maior rendimento tem capacidade de gerar 62kWh por tonelada de cana. Já a média de geração de todas as usinas do Estado alcança 23kWh por tonelada. “É possível chegarmos a 90 kWh por tonelada, basta investirmos nisso”, disse.

De acordo com o secretário, se todas as usinas fossem equivalentes à indústria mais produtiva do Estado, a capacidade de geração de energia a partir da biomassa de cana seria 333MW superior a de hoje, considerando a safra atual de 26 milhões de toneladas de cana.

Além do potencial de geração de energia por biomassa, Gomes também citou a possibilidade da geração de energia eólica no Estado. “Segundo pesquisas realizadas pela Universidade Federal de Alagoas com a Federal do Paraná, nossa média de ventos é de sete metros por segundo, considerada muito boa. Nessas condições o potencial total seria de 1.200 MW”.

Segundo ele, atualmente uma empresa alemã desenvolve dois projetos de geração de energia eólica no Estado, nos municípios de Roteiro e de Coruripe, que terão uma capacidade instalada de 300MW, que corresponde a 60% da demanda da Ceal.

Banner Evento Mobile