Mercado

Agropecuária paulista terá crédito de R$ 2 bilhões

A parceria do Estado de São Paulo com o Banco do Brasil (BB) vai disponibilizar à agropecuária paulista R$ 2 bilhões em financiamento de crédito rural, para a safra 2003/2004.

O protocolo de intenções entre o Estado e o BB, que garante o implemento dos programas de incentivo à agricultura e à pecuária, assinado há uma semana, mas somente oficializadfo hoje, pelo governador Geraldo Alckmin.

Os financiamentos estão disponíveis, até junho do ano que vem, quando se encerra a safra, a todos os empreendedores do meio rural do Estado que exerçam atividade da agricultura ou pecuária e que se enquadrem nos perfis de renda bruta anual, desde a agricultura familiar, com renda menor, até a agricultura de mercado/empresarial. São voltadas a três aportes de atividades: investimentos, custeio e comercialização.

Linhas de financiamento

Dentre as linhas de financiamento, estão o Moderfrota, que oferece financiamento para tratores e implementos; o Moderinfra, com linhas de financiamento para irrigação e armazenagem; o Proleite, que financia resfriadores e ordenhadeiras; e recursos para a agricultura familiar.

As taxas de juros anuais cobradas devem ser de 8,75%, com variações de 4% (Programa Nacional de Agricultura Familiar – Pronaf) a 12,75% para alguns implementos financiados pelo Moderfrota.

Ao governo paulista caberá, por intermédio da Secretaria Estadual da Agricultura e Abastecimento, a divulgação das linhas de crédito por meio do trabalho dos 40 Escritórios de Desenvolvimento Regionais e das Casas de Agricultura espalhadas pelo Estado.

As linhas Prodefruta, Modeagro e Prodeagro, do Banco do Brasil, com recursos em torno de R$ 75 milhões, deverão ajudar a incrementar os dois programas. Já o Proleite, com linha de R$ 5 milhões para compra de resfriadores e ordenhadeiras, deverá ajudar a impulsionar a atividade leiteira em São Paulo.

Atualmente, a Secretaria da Agricultura compra quase 8% da produção estadual de leite, para distribuição a 722 mil famílias em todo o Estado, pelo Programa Viva Leite. Na opinião de Alckmin, os recursos vão beneficiar principalmente o pequeno agricultor.

Banner Revistas Mobile