Mercado

AGRONEGÓCIO: Com fim de safra, 700 perdem emprego

A Destilaria Guaricanga Ltda demitiu 700 de seus funcionários em Presidente Alves (56 quilômetros de Bauru). Segundo a empresa, as demissões ocorreram por causa do final da safra da cana-de-açúcar e não têm relação com a crise financeira internacional.

Os funcionários eram contratados por tempo indeterminado. A maior parte dos desligamentos afetou os trabalhadores rurais – mais de 60% – e o restante atinge outros níveis da empresa como motoristas, tratoristas e ajudantes gerais. O deputado federal João Herrmann Neto (PDT) é dono de 99% da usina.

A Destilaria Guaricanga faz a moagem da cana-de-açúcar e a transforma em etanol. A empresa possui 1.800 contratos diretos. Somados os indiretos, o número de funcionários passa de 4 mil. Na safra passada, a empresa produziu 1,24 milhão de toneladas de cana, gerando 100 milhões de litros de etanol.

A safra da cana, que varia de 180 a 210 dias, terminou mais tarde neste ano – começou no final de julho e terminou no último dia 7 de março. Desde segunda-feira, os funcionários estão sendo dispensados. O último grupo saiu ontem.

De acordo com Fernando Gil, diretor de riscos da empresa, as dispensas não possuem relação com a crise financeira, mas sim com o tempo maior de moagem. Normalmente, quando acaba a safra, a usina dispensa os funcionários. Na safra passada foi assim. As demissões são normais e não têm a ver com a crise.

A empresa informou que todas as garantias trabalhistas serão pagas. Segundo Gil, os funcionários devem voltar na safra 2009/2010, prevista para começar na segunda quinzena do mês de maio. No início da safra, eles voltam, disse.

O diretor da empresa explicou que o setor sucroalcooleiro vem enfrentando dificuldades com o baixo preço do álcool, o custo cada vez mais alto dos produtos e com o cenário atípico da crise financeira.

Banner Evento Mobile