Mercado

Açúcar gera polêmica

Brasil, Austrália e Tailândia , países que podem ser afetados pela decisão européia de colocar no exterior 1,9 milhão de toneladas de açúcar excedentes da sua produção, vão fazer a única coisa possível no momento: alertar a comunidade internacional que a medida viola ainda mais as obrigações européias diante da Organização Mundial de Comércio (OMC).

A União Européia quer 19 meses de prazo, até janeiro de 2007, para eliminar os subsídios a exportação de açúcar, que foram condenados pela OMC. Do contrário, ameaça despejar imediatamente no mercado externo as toneladas adicionais de açúcar. A ameaça européia voltou à tona na véspera de reunião do Órgão de Solução de Controvérsias da OMC, que ocorre hoje. É nesse painel que Brasil e os demais produtores pretendem se manifestar.

Até agora, os europeus dizem que podem fazer essa venda até final de 2006. Mas insistem que para isso dizem precisar do prazo longo de implementação do painel perdido na OMC. Para o embaixador brasileiro junto a UE, José Alfredo Graça Lima, porém, a decisão do painel já deveria evitar que Bruxelas exportasse tanto açúcar subsidiado.

Banner Revistas Mobile