Mercado

Ações da Cosan caíram 13,96% na Bolsa ontem

A proposta de aumento de capital da Cosan S.A., anunciada na segunda-feira (dia 19), provocou uma queda recorde nas ações da maior companhia de açúcar e álcool do País. Ontem, as ações ordinárias da Cosan caíram 13,96%, reduzindo o valor do papel para R$ 20,65 – abaixo do valor de R$ 21 proposto para o aumento de capital. A proposta será discutida e votada em assembléia no dia 5 de dezembro.

Para analistas, os acionistas minoritários da Cosan viram nessa nova proposta a diluição de sua participação. Desde que foi criada uma nova empresa (a Cosan Limited, com ações em Nova York), o mercado já vinha reagindo negativamente, sobretudo em relação ao destino que terão os acionistas da empresa antiga, a Cosan S.A. (listada na Bovespa).

O problema com a nova emissão é a perda de poder dos minoritários. O acionista controlador, Rubens Ometto, vai subscrever 82,7 milhões de ações, que se somarão às 188,8 milhões já existentes. Os recursos virão da oferta global das ações da Cosan Limited, que obteve R$ 2 bilhões na abertura de capital. A idéia de Ometto é injetar na Cosan S.A. R$ 1,7 bilhão.

“Se todos pudessem subscrever em ações o mesmo porcentual que possuem da companhia, não haveria problema. A questão é que só o controlador fará isso. Assim, haverá uma diluição do capital e perda de participação do minoritário. É por isso que o papel registrou essa queda”, diz Peter Pingho, analista do setor sucroalcooleiro da Planner Corretora. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Banner Evento Mobile