Solidariedade

ABAG apoia mobilização e envio ao Rio Grande do Sul de equipes voluntárias de médicos e enfermeiros

Mais de 60 pessoas aguardam embarque para reforçar o atendimento à população de São Leopoldo - RS, que já recebeu 20 profissionais de saúde

ABAG apoia mobilização e envio ao Rio Grande do Sul de equipes voluntárias de médicos e enfermeiros

A Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG) está apoiando o envio ao Rio Grande do Sul de médicos e enfermeiros voluntários para reforçar o atendimento à população atingida pelas inundações que provocaram destruição e perdas de vidas. Esse movimento também envolve a Liga Acadêmica de Enfermagem na Saúde do Adulto (LAESA), formada por estudantes e professores da Universidade Cruzeiro do Sul, a Associação Brasileira de Parentes e Amigos de Vítimas de Acidentes Aéreos (ABRAPAVAA) e a empresa Melhoramentos. A campanha, que já garantiu mobilização e envio de mais de 20 profissionais de saúde ao Rio Grande do Sul, conta com uma lista com mais de 60 voluntários que aguardam chamamento para embarque.

Os voluntários estão atuando em São Leopoldo, município próximo a Porto Alegre, e que tem mais 180 mil desabrigados e 80% dos bairros impactados pela inundação. O cadastro dos voluntários – médicos(as) e enfermeiros(as) – é feito por meio de um formulário disponível no perfil da LAESA no Instagram (@laesa.ucs2024). ABAG, ABRAPAVAA e Melhoramentos atuam na busca por vagas em aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB), já que a oferta de voos comerciais para Porto Alegre foi afetada com o fechamento do aeroporto Salgado Filho. Os voluntários também são transportados em voos da empresa ALR Aviation, que também participa desse movimento de solidariedade. A Prefeitura de São Leopoldo viabiliza hospedagem e alimentação aos voluntários, além de designar os locais de trabalho.

Cada grupo de voluntários permanece em São Leopoldo por até dez dias. “Pretendemos enviar até 12 voluntários a cada semana, pois não há alojamentos disponíveis para abrigar contingente maior”, detalha Ana Paula Zanelatto, professora do bacharelado em enfermagem da Universidade Cruzeiro do Sul, em São Paulo (SP). Nos próximos dias, o movimento que une LAESA, ABAG, ABRAPAVAA, Melhoramentos e ALR Aviation pretende reforçar o atendimento às pessoas afetadas pelas inundações no Rio Grande do Sul por meio de teleconsultas, trabalho que também envolverá psicólogos e psiquiatras voluntários.

Setor mobilizado

Todos os 75 associados da ABAG, entidade que congrega empresas, cooperativas e outras organizações que atuam nos diversos elos das cadeias que compõem o agronegócio, estão desenvolvendo ações humanitárias para mitigar o sofrimento das pessoas atingidas pelas inundações no Rio Grande do Sul. “Esse é um movimento de todo o setor, não só da ABAG e de nossos associados, mas de todas as empresas e entidades do agronegócio. A preocupação primordial, neste momento, é a vida e a segurança das pessoas, especialmente dos desabrigados”, destaca Gislaine Balbinot, diretora-executiva da ABAG.

A ABAG acompanha com preocupação da situação no Rio Grande do Sul, estado que é responsável por quase 13% do PIB agropecuário brasileiro. Como entidade que há mais de 30 anos dialoga com os setores público e privado, para fortalecer o papel estratégico do sistema agroindustrial na segurança alimentar, produção de fibras e energias renováveis, a ABAG seguirá colaborando com o desenvolvimento de ações e estratégias que facilitem a retomada da produção agropecuária e das operações agroindustriais no território gaúcho.

Banner Revistas Mobile