Mercado

130ª reunião do Gerhai promove troca de informações e reciclagem de profissionais do setor

A 130ª reunião do Gerhai aconteceu em Araçatuba – SP, em paralelo às comemorações do 22º aniversário da UDOP. Com mais de 45 participantes, a reunião contou com a presença dos convidados: Ângelo, da Apetit, Edson Tanaka, da Usina Bandeirantes, José Antonio Basseto Júnior, da Clealco, José Augusto, da Usina Guarani, Mário Oliveira, da Maxx Consultoria, Ronaldo Oliveira, da Usina Cerradinho, Azis Abrahão Júnior, da Space, Carlos Taveira, da Unimed e Adriana Veiga, da Vale Card.

O vice-presidente da Unimed Araçatuba, Dr. Antonio Rubens Lima de Castro, participou da reunião e explanou sobre a atuação da Unimed local nas empresas da região.

José Rui comentou sobre sua participação no Simpósio dos Sindicatos Rurais de Minas Gerais, onde ministrou uma palestra sobre os problemas da mecanização do corte de cana e a posição dos sindicalistas frente ao processo.

Dando continuidade, Jorge Ruivo ministrou a palestra “Rh Estratégico… da Teoria à Prática”, abordando a parte teórica e exemplificando com ferramentas de gestão, a transformação em um RH estratégico.

Rugênia Pomi apresentou os resultados da Pesquisa Brasileira em Gestão do Capital Humano. Benchmarking 2007 e a tendência da gestão do capital humano, explicando sua metodologia. Esta pesquisa é um processo de benchmarking entre empresas estabelecidas no mercado brasileiro, que demonstra o retorno do investimento em pessoas conectando a performance organizacional aos indicadores de RH (Estrutura de RH, Remuneração e Benefícios, Rotatividade, Atração, Educação e Aprendizagem, Saúde e Segurança, Relações Trabalhistas e Sindicais).

Para Rugênia, “o Brasil é muito retrógrado com relação à gestão estratégica em RH. Temos 13 anos de batalhas, massa crítica, apresentações, tentando mudar a cultura, mas ainda não conseguimos. Isso dá margem para que as empresas internacionais se destaquem e saiam na frente no que diz respeito a recursos humanos”.

“A agroindústria é responsável por 10% da representação da Pesquisa, no estudo da Sextante (conceituado centro de pesquisas no Brasil, com database de mais de 100 indicadores de desempenho). Achamos muito pouco frente ao potencial que temos, uma vez que a agroindústria é a grande vocação do Brasil”, explica Rugênia.

A palestra Auto Gerenciamento da Carreira, ministrada por Darley Miranda, proporcionou reflexão ao abordar a importância da reciclagem de profissionais, a busca por novas oportunidades e conhecimento.

Ele ainda explica que “para formar um gerente industrial, demora, pelo menos, 10 anos. Aonde encontrar gerentes e supervisores prontos? Se não houver um programa de “requalificação”, haverá falta de mão-de-obra capacitada, na agroindústria, uma vez que o mercado está aquecido e a procura por profissionais está intensa. A área de RH tem que fazer a gestão do aprendizado e do conhecimento, oferecendo cursos para seus colaboradores. Seja na empresa ou em parceria com instituições de ensino, sindicatos, grupos de estudos ou assessorias, haverá uma elevação na capacitação do profissional que, certamente, desenvolverá suas atividades com maior qualidade e empenho, tornando-se uma ação econômica para as empresas”.

Banner Evento Mobile