fbpx

Médio São Francisco baiano tem duas usinas confirmadas. E terá mais 8

RenovaBio estimula os novos empreendimentos

Plantio de cana de usina em implantação no chamado novo ‘Eldorado’ Sucroenergético, na Bahia (Foto: Divulgação)

Duas usinas de cana-de-açúcar estão confirmadas no Polo Bioenergético e Sucroalcooleiro da região do Médio São Francisco, na Bahia. 

Uma delas está em fase de obras. 

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), do governo estadual, no entanto, projeta mais oito unidades produtoras sucroenergéticas no Polo. 

Para isso, a proposta é atrair empresários de estados do Centro-Sul, onde fica 90% da produção nacional de etanol e de açúcar.

Entre os dias 26 e 27, representantes da SDE acompanharam comitiva de empresários e técnicos de Minas Gerais em visita à região que já é chamada de Eldorado Sucroenergético do Brasil. 

 

Leia também: 

Cucaú é a vencedora da categoria Gestão Industrial – Performance no MasterCana Nordeste

 

Primeira das usinas já emprega 500

 

Os visitantes são da região de Unaí (MG).

Eles visitaram os municípios de Barra e Muquém do São Francisco, onde a primeira das 10 usinas do ‘Eldorado’ está em fase de implantação.

Trata-se de unidade produtora do Grupo Paranhos, com sede em Pernambuco e extensões em Minas e na Bahia.

Segundo o SDE, a implantação da futura usina já emprega 500 trabalhadores locais.

Já a segunda usina de cana proposta para a região, conforme o SDE, é a Fazenda Igarité, do empresário Pedro Leite.

“No final de 2019, estivemos aqui com representantes de fundos de investimentos, bancos de fomento e empresários da mineira Bevap Bioenergia”, relata João Leão, vice-governador e titular do SDE.

“Agora, recebemos empresários especialistas no cultivo de grãos irrigados, como feijão, soja e sorgo”, diz.

“Eles vieram ver de perto a viabilidade do negócio e vão enviar técnicos para fazer um estudo in loco”, diz Leão.

Larga experiência em agricultura irrigada

“Quem dá conta de plantar de feijão a laranja, vai ter naturalmente sucesso com a cana”, destaca o consultor de negócios Anderson Adauto, que acompanhou a comitiva.

“E a grande vantagem deste grupo é ser unido, coeso, todos são agricultores profissionais e têm uma larga experiência em agricultura irrigada.”

Segundo Adauto, que foi prefeito de Uberaba e ministro dos Transportes, o projeto da segunda usina do Polo deverá ser apresentado nessa semana para a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA).

“A UNICA congrega todas as indústrias deste ramo, eles estão muito animados e, com o RenovaBio, o País precisará de 20 a 30 usinas, com 3,5 milhões de toneladas de cana cada uma”, diz.

“Temos uma experiência exitosa no triângulo mineiro em relação ao segmento sucroenergético e vi aqui o que precisamos para produzir com sustentabilidade, renda e produtividade”, comenta o agricultor e deputado federal por MG Zé Silva.

“Há água abundante, muita luminosidade e, especialmente, solo com topografia plana, todo mecanizável. Então, eu vejo a perspectiva do setor sucroenergético, mas também fazer a integração, a rotação de culturas.”

“Pelo que vimos, no plantio dos Paranhos, a produção de cana-de-açúcar está se mostrando de qualidade, pelos experimentos em curso. Então, acho que o projeto é muito promissor”, relata Antonio Giló, empresário e chefe da comitiva mineira.

” O que estamos pensando é em formar um grupo, para atuar como indústria de integração, como já fazemos em Minas, com grandes produtores, com tecnologia, e vir para cá”, finaliza.
(Com conteúdo da Assessoria da SDE) 

Contatos com o autor desse conteúdo: [email protected]

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X