fbpx

Maranhão será pólo exportador de álcool, via Porto de Itaqui

Tendo como vagão-chefe o álcool combustível e como doca de escoamento o Porto de Itaqui, um mega-empreendimento de energia alternativa está sendo projetado no Estado do Maranhão. Trata-se do Pólo Agroindustrial de Energia Alternativa, que prevê a produção de álcool, biodisel e geração de energia termoelétrica que, ao final de sua implantação, em dez anos, deverá dobrar a produção nordestina, com aumento de 1,5 bilhão de litros de álcool produzidos por cerca de 20 unidades.

No final do mês de março, o governador maranhense Reinaldo Tavares chamou o secretário-geral da Unida – União Nordestina dos produtores de Cana, e lhe pediu um ante-projeto do empreendimento. Em Brasília, durante escala de vôo para Piracicaba, em 6 de abril, Gregório Maranhão confirmou o encontro.

O governo do Maranhão trabalha para transformar o Porto de Itaqui em grande escoadouro de produtos agroindustriais. Para isso, investe em infra-estrutura e procura parceiros na iniciativa privada. Serão US$ 1,5 bilhão de investimentos. “Itaqui possui todas as condições para se tornar porta de saída de produtos agroindustriais”, festeja Gregório Maranhão.

Duas unidades em operação

O Maranhão possui hoje duas unidades sucroalcooleiras em funcionamento – Caimann e Itajubara – e outras três em processo de reativação. Com a implantação do pólo deverão ser construídas pelo menos outras 20 unidades, todas próximas à Ferrovia Carajás. Essas usinas e destilarias deverão utilizar a malha ferroviária da Ferrovia Carajás, que já possui entrepostos para receber a soja, cultura predominante na região.

Atualmente estão sendo identificadas áreas capazes de receber plantio de cana (para álcool) e mamona (para biodiesel).

“Além da calagem de ótima profundidade, que permite atracação de navios de grande porte, o Porto de Itaqui está próximo dos mercados da Europa e Estados Unidos, e isto resulta em barateamento do frete”, informa Gregório Maranhão.

Concorrência à soja

A instalação do Pólo Agroindustrial de Energia Alternativa no Maranhão deverá gerar cerca de 150 mil empregos diretos e indiretos

É o segundo de maior calagem do mundo, com profundidade de até 30 metros e seu canal de acesso tem 1.800 metros. É administrado pela Emap – Empresa Maranhense de Administração Portuária e está localizado na baía de São Marcos, em São Luís.

As principais cargas embarcadas em Itaqui são minério de ferro, minério de manganês, ferro gusa, soja, crisólito, silício, derivados de petróleo e alumínio. As principais cargas importadas são derivados de petróleo, fertilizantes, trigo, carvão/coque e piche.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X