fbpx

Manejo com inimigos naturais tem aumento nos canaviais

Sistema viabiliza ganhos de rentabilidade e produtividade

Controle é feito por drones

O controle biológico para cana-de-açúcar é utilizado há muitos anos no Brasil, com a adoção de macro e microbiológicos no combate a várias pragas e doenças.

A Koppert do Brasil tem o portfólio mais completo de biológicos para a cultura da cana, com os já tradicionais Galloibug (Trichogramma galloi), que atua sobre a broca-da-cana, o Metarril (Metarhizium anisopliae), inseticida que controla a cigarrinha da raiz e o Trichodermil (trichoderma hazianum), fungo com ação fungicida e nematicida.

Neste ano, a empresa lançou mais dois produtos para a cultura, o Boneville (Bacillus amyloliquefaciens), que é uma bactéria que atua como nematicida e auxilia na reestruturação da biota do solo, aumentando a capacidade de absorção de nutrientes pelas plantas e o Roadster (Ascophyllum nodosum), biofertilizante mundialmente reconhecido por estimular o crescimento das plantas e melhorar sua resistência frente aos estresses e ao ataque de pragas e doenças.

O Trochidermil é o mais utilizado na cultura da cana e tem mostrado resultados expressivos. Em Goiás, na média, os canaviais tiveram incremento de 26,7 toneladas/hectare com o uso do produto, no Paraná, de 11,54 t/ha; em Mato Grosso do Sul, de 14,8t/ha; e em São Paulo, de 11,6 t/ha.

Segundo o gerente comercial cana-de-açúcar da empresa, Vinícius Lourenço Lopes, os produtores já estão convencidos da eficiência desse manejo quando comparado aos concorrentes. “Os resultados têm sido excelentes no ganho de produtividade”, salienta.

Lopes ressalta os bons resultados obtidos

Em relação aos inseticidas, os números também são surpreendentes. O Galloibug reduziu pela metade a infestação da broca-da-cana em canaviais de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Goiás.

“Atualmente, a aplicação desse produto é feita por drones, o que aumenta sua eficácia e segurança e ainda economiza em mão-de-obra. Anteriormente, o produto era liberado manualmente por pessoas que percorriam os canaviais. Além de ser mais caro e demorado, não tínhamos como garantir com precisão a aplicação nos locais e níveis corretos”, explica Lopes.

A Koppert teve um aumento de 60% nas suas vendas para cana-de-açúcar na safra 2019/20, evidenciando o aumento do uso do controle biológico nos canaviais.

“Além dos ganhos de rentabilidade e produtividade, o manejo com inimigos naturais promove o equilíbrio na área e reduz a pressão de pragas e doenças, além de não apresentar resíduos para o meio ambiente e para a saúde humana”, pondera Lopes.

Esta matéria faz parte da edição 318 do JornalCana. Leia matéria completa clicando aqui.

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

2 × dois =

X