fbpx

Logum pode administrar estoque de etanol, diz Petrobras

O diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, disse que a Logum, empresa que vai administrar o alcoolduto a ser construído para ligar o Centro-Oeste ao litoral do Sudeste, poderá usar seus centros de coleta de etanol como unidades armazenadoras dos estoques reguladores do governo. Empresa formada pela Petrobras, Cosan, Copersucar, Odebrecht e Uniduto, a Logum tem hoje tancagem para o armazenamento de 800 milhões de litros. Para que isto ocorra, Costa disse que a Logum terá que ser remunerada pelo governo através de um programa de estocagem. Este programa teria que ser criado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP), segundo Costa.

O executivo afirma que no percurso do alcoolduto, de 1.300 quilômetros, haverá vários centros de coleta, que servirão para captar o etanol da região, assim como aquele que chegar ao local via sistema rodoviário, ferroviário e hidroviário. “Seria uma boa oportunidade para aumentar a utilização desta tancagem se elas forem utilizadas também como armazenadoras de etanol de estoque regulador do governo”, disse.

Costa disse que a primeira fase do alcoolduto, entre Paulínia e Ribeirão Preto (SP), será entregue em janeiro de 2013. Em junho de 2013, está prevista a entrega da segunda fase do projeto, que estende o alcoolduto até Uberaba (MG). “A previsão é de que todo o trajeto do alcoolduto, com capacidade de transporte de 20 bilhões de litros por ano, esteja pronto em outubro de 2015”, afirmou. O trajeto hidroviário deve ser entregue em outubro de 2013.

Questionado sobre a competitividade que a logística multimodal do alcoolduto irá trazer para o setor, Costa disse que o transporte via duto trará uma redução de custos de “dois dígitos”. O executivo disse que não pode revelar o número oficial porque ele ainda está em estudo.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X