fbpx
JornalCana

JOB estima aumento de 6% a 7% na safra de cana 2022/23

estimativa da JOB é que sejam 6% a 7% acima da safra anterior.

“Aproveitando a oportunidade de imposto nulo de importação, devo adiantar que não deverão ocorrer importações de açúcar e etanol, por este motivo, no curto prazo. Isto porque nosso açúcar tem preço menor ou igual ao do concorrente externo. Além disso, o etanol dos EUA, nosso principal fornecedor do produto, está caro, o que inviabiliza importações”, afirmou Júlio Maria M. Borges, sócio-diretor da JOB Economia e Planejamento.

O consultor ressalta que as incertezas aumentaram muito com os últimos fatos ocorridos, principalmente a guerra Ucrânia-Rússia e da covid 19, que está voltando pela terceira vez, impactando a economia de alguns países e reduz a capacidade produtiva no curto prazo.

“É um momento péssimo para a formação de expectativas para a atividade econômica e o bem-estar das pessoas”, afirma.

De acordo com ele, o preço das commodities, particularmente nos setores de energia e alimentos, estão altos e devem continuar altos no médio prazo. A restrição de oferta tem acontecido mais rápido que a restrição na demanda e a redução de estoques faz algum ajuste de curto prazo neste desequilíbrio de oferta-demanda.

Esta condição de mercado dará bom suporte para os preços destes produtos e vai favorecer exportações. O dólar americano, que está valorizado, deve continuar assim e as outras moedas, desvalorizadas, reforçam o movimento das exportações. O fato do Real estar valorizado é uma exceção, que pode ter vida curta, devido às eleições no Brasil e ao aumento da taxa de juros americana. Ou seja, países exportadores de commodities devem ver receitas das empresas exportadoras relativamente altas.

LEIA MAIS > Estoques de etanol garantem oferta até o início de safra 22/23

Para conviver com as incertezas, Borges diz que atitudes defensivas são bem-vindas para a preservação da atividade econômica e do patrimônio pessoal. “Atitudes especulativas são possíveis e de alto risco, considerando que a volatilidade de preços dos mercados é alta e o cenário econômico é indefinido. Tem sido desfavorável à atividade econômica e ao padrão de vida da população a inflação crescente, fruto deste contexto desafiador que comentamos. Neste ambiente, os custos de produção e logística são crescentes e ameaçam o resultado dos negócios e reduzem o padrão de vida das pessoas”, pontuou.

Segundo ele, o que pode e tem sido feito para mitigar este risco é a compra antecipada de insumos em mercados de futuros (hedge de compra). As receitas podem também ser protegidas (hedge de venda) e o lucro ser definido antecipadamente. “Neste momento, o hedge de compra parece ser mais urgente. Contratos de longo prazo com fornecedores confiáveis devem ser também considerados. Com isto se garante o suprimento sem necessariamente garantir o preço de compra, que pode ser variável conforme o mercado”, disse.

Quanto à safra de cana-de-açúcar 2022/23, a estimativa da JOB é que sejam 6% a 7% acima da safra anterior.

LEIA MAIS > “Não armazene nem se apresse” na compra de fertilizantes, diz ministra

Sobre os preços e custos, vale ressaltar que o agronegócio também vive o impacto da guerra e pandemia. “Cabe destacar que é provável uma nova safra de bons resultados econômicos, tal como ocorreu nas duas safras anteriores. E a capitalização do setor deve continuar favorecendo sua consolidação e competitividade”, disse.

Concluindo, Borges ressaltou que não se pode descartar o risco para o setor representado por um aumento de custos maior que o aumento dos preços de venda dos produtos. “Tudo vai depender do imponderável: qual a solução final para a guerra Ucrânia-Rússia. Este risco inibe investimentos e o hedge de venda das novas safras”.

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
X
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram