fbpx
JornalCana

Investimentos bilionários podem alavancar produção brasileira de etanol de milho

Projeções apontam que safra 20/21 pode gerar 2,7 bilhões de litros

[CONTEÚDO PATROCINADO]

A União Nacional de Etanol de Milho (Unem) acredita que a produção do etanol derivado do cereal pode atingir no final dessa safra 2,7 bilhões de litros. A estimativa está em alinhada com a previsão feita pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em maio desse ano. O bom momento nesse mercado é motivo de celebração para os produtores. Além disso, investimentos bilionários podem alavancar produção brasileira de etanol de milho.

DESTAQUE > TECO 2020 debaterá o setor de biocombustíveis entre 16 e 18 de novembro

Isso porque o setor também comemora o início da operação de duas plantas para a produção de etanol de milho em Mato Grosso, sendo uma em Sorriso, inaugurada em março, com capacidade para 530 milhões de litros ao ano; e outra em Nova Mutum, que começou as atividades após licença concedida pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em agosto, com potencial para somar 320 milhões de litros à produção. Com isso, os aportes financeiros para o aumento da produção das usinas já existentes e em novas plantas em Goiás e Mato Grosso, os dois maiores produtores, irão encerrar 2020 com R$ 5 bilhões acumulados nos últimos cinco anos.

SAIBA MAIS > Quais são as estratégias de diversificação mais promissoras para a 21/22

Com as inaugurações o Brasil passa a ter 16 usinas de etanol de milho em funcionamento. Mas, está previsto o início das atividades de outras duas unidades neste mês novembro e em março de 2021, que devem acrescentar 400 milhões de litros anuais à capacidade de produção. No total, a indústria poderá produzir até 3,4 bilhões de litros a cada safra a partir do segundo trimestre do ano que vem.

Produção tende a aumentar, mas como se aprofundar nos detalhes desse mercado?

A produção de etanol de milho tende a continuar melhorando. Apesar do etanol de cana ser, em tese, mais competitivo, a produção de milho é forte. Além disso, a tecnologia de clima tropical é tão ou mais eficiente do que a utilizada pelos norte-americanos, que, por sua vez, devem produzir 10 milhões de litros a menos nesta safra. Mas o desafio que fica é o de se aprofundar nos detalhes do mercado e em fazer um benchmarking adequado para implantar a tecnologia de produção.

Como uma resposta a esse necessidade acontece de 16 a 18 de novembro a TECO 2020. O evento chega remodelado, totalmente digital e organizado para surpreender toda a América Latina. O evento acontece  mantendo suas principais características.

A edição deste ano reunirá os principais produtores de etanol, investidores, tomadores de decisão e parceiros de tecnologia, permeados por um alto nível de network. Os participantes vão conferir as novidades do setor de biocombustíveis, apresentadas por um conjunto de palestrantes e debatedores que trazem o cenário da América Latina, interessados em etanol de milho.

Os temas oferecerão as oportunidades necessárias para crescer no conhecimento sobre a produção de etanol de milho e o que a indústria da América Latina aprendeu em temos da COVID-19 e as perspectivas para o futuro. O debate também circulará pelos produtos de alimentação animal em biorrefinarias e como ter uma destilaria eficiente, focando nas novas tecnologias, além de contribuir para o network entre os representantes das indústrias.

Programação

A programação deste ano contará com a participação de:

  • Brian Brazeau, presidente da Novozymes North America
  • William Yassumoto, presidente da Novozymes Latin America
  • Plinio Nastari, CEO da DATAGRO
  • Agustin Torroba, especialista internacional em biocombustíveis da IICA
  • Mallorie Wilken, nutricionista técnica de alimentação da ICM
  • Alessandro Guzzone, tecnólogo downstream da Vogelbusch Bio Commodities
  • John Kwik, presidente da Fluid Quip Technologies
  • Terence Baines, gerenciamento de risco
  • Clayton Melo, diretor da Argus Media
  • Bruno Menezes, gerente de marketing da Novozymes Latin America
  • Emmanuel Desplechi, secretário geral da ePure
  • Mr. Zhang Guohong, secretário-geral da Associação de Bebidas Alcóolicas da China (Alcohol Branch)
  • Marcelo Borloni e Juan Cordoba, da BIO4
  • Gustavo Gonzaga de Oliveira, conselheiro sênior e parceiro, da Cambridge Family Enterprise Group
  • Patrick Williams, gerente de soluções da Novozymes Bioenergy
  • Tara Vigil, presidente da Katzen
  • José Roberto Mendonça de Barros, economista
Como se inscrever

As inscrições podem ser feitas no site: https://www.tecoexperience.com/pt

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
X
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram