fbpx

Hidratado deve ganhar espaço no mercado interno

Mesmo com as boas perspectivas para o álcool no mercado internacional, será no mercado doméstico que o combustível deverá ganhar destaque em 2004. Os empresários do setor sucroalcooleiro do Brasil acreditam que o consumo interno, que oscila entre 900 milhões e 1 bilhão de litros mensais, poderá surpreender no próximo ano.

Os primeiros sinais foram dados no mês de dezembro, com a sanção da lei de redução da alíquota do ICMS para o álcool hidratado de 25% para 12% em São Paulo (veja matéria na página 15). Maior mercado produtor do país, o estado de São Paulo responde por 55% da oferta nacional. Outro indicativo é o crescimento das vendas dos carros flexfuel – que é abastecido com álcool ou gasolina.

As sinalizações de que o Japão poderá importar álcool combustível do Brasil são até positivas, mas volumes concretos de importação ainda não foram negociados. “O mercado interno é o principal canal das usinas”, disse Eduardo Pereira de Carvalho, presidente da Unica – União da Agroindústria Canavieira do Estado de São Paulo.

Em recente viagem à Europa, Luiz Carlos de Carvalho, o Caio, diretor da consultoria Canaplan, e presidente da câmara setorial sucroalcooleira, disse que as perspectivas para que os europeus invistam na produção de álcool também são positivas. “Eles estão apostando mais no biodiesel neste momento”, afirmou.

Confira matéria completa na edição de dezembro do JornalCana.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X