fbpx
JornalCana

GWM fabricará no Brasil elétricos e híbridos movido a etanol

A gigante chinesa, que comprou a fábrica da Mercedes Benz em Iracemápolis, anuncia lançamento de híbridos importados no próximo semestre

A GWM (Great Wall Motors) anunciou nesta semana os sistemas híbridos que irá usar em sua primeira fase no Brasil, ainda antes de iniciar a produção na fábrica de Iracemápolis -SP, que comprou da Mercedes-Benz. Assim como a Caoa Chery, a GWM usará a nova DHT (Dedicated Hybrid Technology), que dá aos carros híbridos maior alcance. A GWM iniciará com duas marcas: Haval (SUVs) e Poer (picapes). Depois virão a Tank e a Ora.

A GWM é a maior fabricante privada de automóveis da China e a terceira a investir no Brasil. A primeira chinesa a chegar aqui foi a JAC, que importa uma linha de elétricos, automóveis, SUVs, picapes e caminhões. A segunda foi a BYD, que se instalou inicialmente produzindo baterias, painéis fotovoltaicos e chassis para ônibus e caminhões elétricos, mas está lançando sedãs e SUVs híbridos e elétricos.

LEIA MAIS >StoneX avalia que até 2030 consumo de etanol será superior ao de gasolina

Com investimentos previstos de R$ 10 bilhões e nacionalização de 60% de seus produtos a médio prazo, a GWM poderá se tornar um dos mais importantes “players” da região.

A Great Wall já expandiu suas operações para a Ásia, Austrália, África do Sul,Tailândia e Rússia. A fábrica no Brasil faz parte de seu projeto global de expansão atingindo uma das mais importantes regiões do mundo.

A empresa se apoia na crescente qualidade dos automóveis chineses, de sua vantagem pela escala, insuperável supremacia na eletrificação veicular e aposta em novas tecnologias: já declarou intenção de investir na célula a combustível (fuel cell) acionada por hidrogênio obtido do etanol.

LEIA MAIS >CerradinhoBio tem lucro líquido de R$ 513,6 milhões na safra 2021/22

Conforme programado, as operações da GWM no Brasil terão início no final do ano com o SUV H6 nas versões híbrida e híbrida plug-in, ambos importados da China. O carro usa uma tecnologia chamada DHT, que foi atualizada pela própria GWM e oferece autonomia de 200 km para o motor elétrico.

Segundo a empresa, a maioria dos modelos tem autonomia de até 80 km. Em março de 2023 o grupo GWM deverá iniciar a produção na fábrica de Iracemápolis com veículos híbridos flex, que poderão receber motores com combustão a etanol ou gasolina.

LEIA MAIS >  Copersucar mais que dobra lucro líquido na safra 2021/22

Mercado aquecido: na última quarta-feira, dia 15, a Caoa Chery informou que está produzindo dois utilitários-esportivos (SUVs) híbridos flex em Anápolis -GO, com início de vendas previsto para agosto. Já a Toyota, pioneira no lançamento dessa tecnologia no Brasil, tem atualmente dois produtos com essa opção no mercado: o Corolla e o Corolla Cross, líderes de venda no país entre carros eletrificados.

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
X
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram