JornalCana

Grupo Toniello constrói usina em SP

De fala mansa e pausada, o empresário Antônio Eduardo Tonielo nem parece que está à frente do Grupo Toniello, que sob seu guarda-chuva controla uma destilaria de álcool, uma usina de açúcar, quatro concessionárias de veículos e uma recém-adquirida concessão para rádio e TV para o interior de São Paulo (SP).

Tonielo (com um “l” só) revelou, sem alarde, que está investindo agora cerca de R$ 80 milhões em uma nova usina de açúcar e álcool, a terceira do grupo, na cidade de Castilho (SP). “Não temos mais cana suficiente para crescer nas regiões onde já estamos instalados”, contou o empresário ao Valor, na quinta-feira passada, durante as comemorações de aniversário e ampliação da central de recebimento de embalagens de agrotóxico da Cooperativa dos Plantadores de Cana da Zona de Guariba (Coplana), sediada em Guariba (SP).

Esta terceira usina de açúcar e álcool do grupo deverá moer, na temporada 2005/06, 600 mil toneladas de cana. Em quatro anos, a previsão é que seja alcançada uma produção de aproximadamente 2,2 milhões de toneladas, mesmo patamar das duas atuais usinas do grupo juntas.

A expansão faz parte das estratégias desse grupo familiar, que começou pequeno em 1950 com uma moenda de cana. À época, a família, sob o comando do patriarca Eduardo Tonielo, entrou no setor para produzir cachaça. “Na década de 80, paramos com cachaça e começamos a investir no álcool combustível”, disse o empresário Tonielo, de 63 anos.

A trajetória dos Tonielo não foge à regra da maioria dos empresários do setor sucroalcooleiro. Entre a metade da década de 70 e início dos anos 80, investiram pesado na produção do álcool, estimulados pelo Proálcool, programa incentivado pelo governo federal e que deu impulso ao carro movido a álcool no país.

Seguindo à risca as tendências do setor, a família passou a produzir açúcar e em co-geração de energia a partir do bagaço da cana-de-açúcar. Os investimentos em Castilho, na região de Araçatuba, pontuam o atual momento do setor canavieiro de São Paulo. Sem espaço para expandir nas tradicionais regiões canavieiras de Ribeirão Preto e Sertãozinho, muitos empresários vêem o noroeste de São Paulo como a nova fronteira para a cana no Estado. Essa região já tem investimentos estimados em cerca de R$ 1 bilhão com a construção de novas usinas de açúcar e álcool, uma vez que os empresários estão de olho no mercado internacional.

A atividade sucroalcooleira, embora seja um dos principais negócios do grupo, divide espaço também com outras atividades do grupo. Os quatro filhos do patriarca Tonielo também controlam quatro concessionárias de veículos em Ribeirão Preto e conseguiram, recentemente, a concessão para operar estações de rádio e TV na região de Sertãozinho. No campo, as ações não se restringem à produção de açúcar e álcool. A família também é produtora de milho e soja, além da criação da pecuária de corte.

Tonielo, que também é presidente da Cooperativa dos Plantadores de Cana do Oeste de São Paulo (Copercana), só é arisco quando o assunto envolve as cifras do grupo. Recusa-se a dizer quanto a empresa fatura. (MS)

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram