fbpx

Grupo de José Rainha invade usinas no interior de São Paulo

Dissidentes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) liderados por José Rainha Junior invadiram neste final de semana as sedes de usinas de cana de açúcar em ao menos quatro cidades da região do Pontal do Paranapanema (oeste paulista).

Segundo a FNL (Frente Nacional de Luta Campo e Cidade), criada em novembro do ano passado, as usinas ocupadas estão falidas e desativadas.

A primeira ação ocorreu na noite deste sábado (6), em uma usina da cidade de Dracena, disse Carlos Lopes, um dos dirigentes nacionais da FNL.

Na manhã desde domingo (7), integrantes do movimento invadiram sedes de usinas em Santo Anastácio, Marabá Paulista e Palmital.

Segundo Lopes, a intenção é permanecer nos locais até eventuais ações de reintegração de posse. Outras usinas devem ser alvo de ação do grupo nos próximos dias.

As invasões marcam o chamado Grito dos Excluídos, quando movimentos sociais promovem atos no Dia da Independência, celebrado neste domingo (7).

As primeiras movimentações começaram na sexta-feira (29) da semana passada, quando integrantes da FNL iniciaram duas marchas, a partir das cidades de Rancharia e Presidente Venceslau.

A passeata durou quatro dias até a chegada a Presidente Prudente (558 km de SP), onde os manifestantes estiveram em frente à Caixa Econômica Federal e ao Itesp, órgão estadual de terras, para cobrar agilidade no processo de reforma agrária.

O Itesp, em nota, informou que o Estado tem acelerado a implantação de novos assentamentos a partir de terras julgadas devolutas (estatais mas sem uso público). Desde 1984, foram criados 95 assentamentos no Pontal e outros 41 nas demais áreas do Estado, segundo o instituto.

Fonte: Folha de S. Paulo

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X