JornalCana

GranBio investe na produção de combustível para aviação sustentável (SAF)

Valor total para esse projeto será de US$ 220 milhões

A GranBio busca promover o uso da cana-energia para a produção de combustível de aviação sustentável (SAF) no Brasil.

Durante participação em um webinar realizado pela Unicamp, na última semana, Bernardo Gradin, CEO da empresa, afirmou que estão desenvolvendo um modelo abrangente para uma biorrefinaria que integra a cana-energia, que é mais rica em celulose e 2,5 vezes mais produtiva, com etanol para produzir SAF.

Na ocasião, Gradin mencionou que o modelo de cluster está na fase preliminar de design e que eles estão em conversas com clientes interessados em estabelecer biorrefinarias em terras degradadas no Brasil para cultivar a cana-energia, conhecida como Vertix, que foi desenvolvida no laboratório da empresa.

LEIA MAIS >MasterCana Centro-Sul reforça presença feminina no agro

O conceito proposto da biorrefinaria envolve o cultivo de cana-energia em terras degradadas, não utilizadas para a produção de alimentos, incorporando tanto a produção de etanol de primeira e segunda geração, produção de SAF e uma usina termelétrica de cogeração.

Com o desempenho atual da cana-energia, Gradin afirmou que é possível produzir, por ciclo de colheita e em 50.000 hectares, 1 bilhão de litros de etanol de primeira e segunda geração, juntamente com 100 milhões de galões de SAF. Ele se referiu a isso como potencialmente a produção integrada de SAF mais econômica do mundo.

Além de sua maestria na produção de etanol de segunda geração, alcançada por meio de tecnologia proprietária e implementação em escala real em Alagoas, a GranBio também está explorando outra rota comercialmente viável para a produção de SAF. Essa rota alternativa envolve a tecnologia AVAP, que converte biomassa em açúcares, lignina, polpa de celulose e nanocelulose.

LEIA MAIS > Debatedores defendem criação de marco legal do hidrogênio verde

Bernardo Gradin

Em relação à produção de SAF, a lignina gerada pelo processo AVAP, assim como o etanol de segunda geração, se torna uma matéria-prima para a produção de combustível de aviação sustentável usando rotas fermentativas (Alcohol-to-Jet) e catalíticas.

No início do ano, a GranBio foi selecionada pelo governo dos Estados Unidos para receber uma concessão de US$ 80 milhões para acelerar o desenvolvimento da tecnologia AVAP para a produção de SAF. Esse apoio financeiro ajudará na construção de uma planta demonstrativa capaz de produzir 3 milhões de litros de SAF anualmente, usando lascas de madeira e resíduos de cana como matéria-prima. O investimento total para esse projeto será de US$ 220 milhões.

A planta irá produzir SAF, diesel verde e nafta verde. O plano é utilizar os mesmos fornecedores necessários para a planta em escala real. Gradin expressou confiança de que, se a planta de demonstração operar com sucesso em sua escala, ela funcionará em uma escala muito maior também.

Ele também mencionou que, além de converter diretamente o carbono da celulose em SAF, eles também planejam utilizar o CO2 da fermentação para aumentar a eficiência da produção de SAF.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram