fbpx

Usina poupou 350 mil reais com o economizador da caldeira 

E prolongou a vida útil do equipamento para uma expectativa de cinco anos

Caeté poupou 350 mil reais com o economizador da caldeira

Podemos definir a Gestão de Ativos no universo sucroenergético como as boas práticas utilizadas por uma usina de cana para valorizar tudo o que pertence à companhia. Em outras palavras, é a gestão de todo o ciclo de vida de um ativo, desde sua aquisição até o seu descarte. Esse ativo pode ser até um pequeno equipamento. Temos, por exemplo, a Usina Caeté – Matriz que poupou 350 mil reais com o economizador da caldeira.

Além disso, prolongou vida útil do equipamento para uma expectativa de cerca de cinco anos. Quem conta é o gerente de manutenção mecânica da Usina Caeté – Matriz, André Enders. De acordo com ele, a usina reduziu aproximadamente 350 mil reais e há duas safras não troca o economizador da caldeira. “Nos trazia transtorno ao longo da safra e todas as entressafras nos trazia um custo de manutenção elevado pela necessidade de substituição de parte desse economizador”, expõe Enders.

Destaque > Já sabe o que é Usina 4.0? Gestores de usinas explicam
André Enders, da Caeté

“Trocávamos 25% do economizador que representava cerca 350 mil reais em média. Após a mudança que fizemos tem duas safras que não trocamos”, explica. A expectativa é que com as alterações feitas o economizador da caldeira tenha duração de cinco anos. O gasto com o equipamento representa praticamente 40% dos custo de manutenção total da caldeira.

Pré aquecedor de ar à vapor da caldeira é outro case de Gestão de Ativos bem-sucedido

Além do case do economizador da caldeira, há também na Usina Caeté – Matriz, de acordo com André Enders o do pré aquecedor de ar à vapor. Sob o mesmo ponto de vista, uma adaptação feita ao equipamento fez com que consumisse menos e gerasse maior ganho. “Esse equipamento tem um consumo de oito toneladas/hora de vapor. O projeto original era rebaixar oito toneladas da caldeira e alimentar o Pré aquecedor de ar à vapor. Fizemos uma modificação utilizando o vapor da extração da turbina. E passando essas 8 toneladas de vapor pela turbina e extraindo em 21 quilos – que é o valor de pressão de alimentação  – conseguimos gerar meio MW/h. Se calcular 24 horas por 180 dias a 200 reais por MW/h daria 430 mil reais de ganho por safra. Em suma, foi algo que nos custou pouco mais de 50 mil para fazer essa alteração”, informa.

O gerente de manutenção mecânica da Usina Caeté – Matriz, André Enders explorarou mais detalhes sobre esses cases durante a Quarta Estratégica JornalCana no Webinar com o tema Maximização da Gestão de Ativos e Manutenção Industrial.

Assista na íntegra:

Este webinar contou com o patrocínio das empresas:

Pró-Usinas – Empresa do Grupo ProCana focada em tecnologia e inovação de resultados para as usinas

S-PAA Soteica – Software de RTO que maximiza a cogeração e a eficiência industrial, instalado em mais de 40 usinas e gerando ganhos superiores a R$ 1/TC.

 

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
2 Comentários
  1. Eliel Inácio Diz

    Bom dia

    O que foi feito de modificação no economizador para economizar 350 mil?

    1. Alessandro Reis Diz

      Olá Eliel, o André revelará os detalhes durante o Webinar desta quarta-feira.Se increva no https://www.jornalcana.com.br/webinar para participar e conferir os detalhes, ok? Obrigado por escrever.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

dezesseis − 9 =

X