fbpx

Etanol anidro é o que mais remunera no setor

2009-04-17-Alcool-Etanol-Usina-Santa-Candida-2A produção acumulada de etanol anidro atingiu 7,6 bilhões de litros na safra 2014/15 na região centro-sul, uma evolução de 5,3% em relação ao volume de igual período do ano passado. É o produto que registra o maior percentual de crescimento nesta safra, aponta a Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar).

A produção de etanol hidratado subiu para 10,4 bilhões de litros, com alta de 4,4%, enquanto a de açúcar foi a 23,4 milhões de toneladas, apenas 1,7% mais do que em igual período de 2013. Julio Maria Borges, da JOB Economia e Planejamento, diz que, na verdade, esse avanço maior do etanol anidro é uma opção das usinas devido à melhor remuneração do produto, em relação aos demais no contexto atual do setor sucroenergético.

No início da safra, em abril, o açúcar para o mercado interno remunerava melhor do que o etanol hidratado, do que o açúcar para exportação e do que o açúcar VHP (para exportação), perdendo apenas para o etanol anidro. Em maio e junho, no entanto, a remuneração do açúcar para o mercado interno superou também a do etanol anidro, condição que perdeu a partir de julho.

Acompanhamento de preços da JOB indica, no entanto, que o etanol anidro foi o produto que mais remunerou os produtores nos últimos três meses desta safra. Atualmente, essa remuneração supera em 7% a do açúcar para o mercado interno. Este tem remuneração menor também em relação ao açúcar branco para exportação e etanol hidratado. A remuneração do açúcar para exportação é 2% acima da do açúcar comercializado no mercado interno, enquanto a do etanol hidratado supera em 1%.

O açúcar VHP para exportação é o produto que menos remunera nesta safra, em relação aos demais produtos, segundo Borges. O preço do açúcar VHP, principal produto da pauta de exportações do setor de cana, equivale a 89% do preço do açúcar de mercado interno e não cobre os custos de renovação da lavoura, depreciação e juros. O VHP está, neste momento, na condição de subproduto da agroindústria canavieira do Brasil. “Essa condição não é sustentável no médio prazo”, afirma Borges.

(Fonte: Folha de S.Paulo)

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

X