fbpx

Especialistas defendem mais investimentos

A necessidade do País investir mais em energias renováveis foi ressaltada ontem por executivos que atuam na área de energia e de produção de álcool no Fórum Nordeste 2009, que ocorreu ontem no Paço Alfândega, no Bairro do Recife. “ A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) precisa acelerar os leilões de energia renováveis”, disse o presidente do Grupo Neoenergia, Marcelo Correia.

Ele foi um dos palestrantes do evento e mostrou que vai diminuir a participação dos empreendimentos de energia renováveis em função dos novos empreendimentos que conseguiram vender energia nos últimos leilões (que são realizados para comercializar energia).

Em 2007, de toda a energia gerada no País, 82% eram de fontes renováveis, como hidrelétricas, queima de biomassa etc. Esse percentual vai cair para 76% em 2013. “A energia da biomassa é competitiva e uma alternativa”, disse Correia.

A biomassa a qu! e ele estava se referindo é a cana-de-açúcar, utilizada na produção de açúcar e álcool. “Só o bagaço (da cana) pode gerar cerca de 2 mil megawatts (MWs) e isso pode chegar a 3 mil MWs se forem usados a ponta e a palha da planta”, disse o diretor comercial da empresa Areva/Koblitz, José Romero Rêgo. Isso significaria 25% a mais de energia no Nordeste. Para se ter uma ideia, a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) gera, em média, 6 mil MWs.

A empresa fechou quatro memorandos de intenção para implantar equipamentos mais adequados para gerar energia em quatro empresas do setor sucroalcooleiro. O Fórum Nordeste foi realizado pelo grupo Eduardo Queiroz Monteiro (EQM) para discutir temas relacionados à produção de açúcar e álcool com executivos da Petrobras, Agência Nacional de Petróleo, empresários e executivos do setor.

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também
Comentários
Carregando...
X